Três mil pneus são recolhidos para reciclagem em Macapá e vão virar sapatos e asfalto

peixe-post-madeirao

Três mil pneus são recolhidos para reciclagem em Macapá e vão virar sapatos e asfalto

peixe-post-madeirao
Três mil pneus são recolhidos para reciclagem em Macapá e vão virar sapatos e asfalto


Material foi retirado de áreas de ressaca, terrenos baldios, canais e borracharias. Objetivo é evitar danos problemas ambientais e doenças causadas pelo Aedes aegypti. Ação recolheu aproximadamente 3 mil pneus da ruas e borracharias de Macapá
PMM/Divulgação
A decomposição de um pneu leva aproximadamente 600 anos e em caso de descarte incorreto, o material pode ser foco de doenças e contaminação por longo tempo. Para reduzir as chances de acontecer em Macapá, uma ação recolheu aproximadamente 3 mil pneus usados. O material vai ganhar uma nova vida útil após ser doado para uma fábrica de reciclagem em São Paulo.
O reaproveitamento de pneus velhos é cada vez mais comum e o que não falta é criatividade. Fábricas de reciclagem criam desde produtos mais simples até artefatos mais complexos.
Material foi doado pela prefeitura de Macapá para uma fábrica de reciclagem em São Paulo
PMM/Divulgação
É o que vai acontecer com o material recolhido em Macapá e que já possui destino certo: os pneus serão transformados em diversos produtos como solas de sapatos, bolsas, asfalto, entre outros.
A ação coordenada pela prefeitura de capital em parceria com empreendedores do segmento de borracharias aconteceu em áreas de ressaca, terrenos baldios, canais e empresas.
O principal objetivo foi a prevenção de problemas ambientais e o combate ao Aedes aegypti, que se prolifera na água acumulada nos pneus mal conservados.
Mosquito Aedes aegypti é o principal transmissor de dengue, zika e chikungunya
João Paulo Burini/Getty Images via BBC
Em relação a proliferação de doenças transmitidas pelo mosquito, o 1º ciclo de 2021 do Levantamento Rápido de Índices de infestação para os mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus (LIRAa), divulgado em março pela prefeitura, mostrou que a capital tem médio risco de infestação pelos mosquitos transmissores da dengue, zika, chinkungunya e febre amarela.
Para evitar que o risco aumente principalmente no período chuvoso, é aconselhado o descarte correto dos pneus. De acordo com o secretário municipal de Zeladoria Urbana, Jean Patrick, as empresas são responsáveis pelo destino do material.
“Toda a empresa que trabalha com os pneus tem a responsabilidade de dar a destinação pra esse pneu que é descartado, por exemplo: se um proprietário vai até uma borracharia fazer a troca do pneu, essa empresa que ficou com o pneu velho tem a responsabilidade de mandar para uma empresa de reciclagem”, explicou Patrick.
Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá
ASSISTA abaixo o que foi destaque no AP: