Vilhena: Inaugurado ponto fixo de vacinação no postinho Afonso Mansur

peixe-post-madeirao

Vilhena: Inaugurado ponto fixo de vacinação no postinho Afonso Mansur

peixe-post-madeirao
Vacinação Afonso Mansur (3)

Pacientes com 60 anos ou mais que ainda não receberam a primeira dose devem se dirigir agora ao postinho de saúde Afonso Mansur, na avenida Brigadeiro Eduardo Gomes, das 8h às 17h, porque começou ontem, de segunda a sexta-feira, a funcionar como ponto fixo de vacinação em Vilhena. Profissionais da saúde que ainda receberam sua segunda dose também devem se deslocar até o espaço para serem imunizados. O local foi preparado durante o fim de semana e já começou a receber vilhenenses ansiosos pela vacina nesta segunda-feira.
“Com o aumento na quantidade de pessoas em cada público a partir de agora, providenciamos um espaço amplo e central da zona urbana para receber todos os pacientes. Aqui temos cobertura em proteção à chuva e sol, informatização, estrutura confortável, espaço suficiente para manter o distanciamento e uma unidade nova, inaugurada há cerca de um ano. Além disso, facilitará o trabalho das vacinadoras, que poderão fazer a imunização com mais agilidade, conforme todos desejam”, explica a secretária municipal de Saúde, Siclinda Raasch.

Butantan

Visto que a fabricação de novos lotes da Coronavac, do Butantan, está atrasada, a vacinação para segunda dose em Vilhena deverá aguardar alguns dias até que sejam entregues mais vacinas. A imunização de idosos com 69 e 68 anos começou ontem, mas as vacinas não foram suficientes para todos os pacientes completarem a imunização com a segunda dose. A expectativa é que mais vacinas cheguem do Ministério da Saúde até o fim de semana.
De acordo com o controlador do postinho Afonso Mansur, João de Castro, a ação visa dar mais facilidade aos pacientes na hora de buscar locais para a vacinação. “Em vez de haver quatro locais, vamos concentrar tudo aqui mesmo, além de drive-thrus esporádicos na Câmara, para facilitar a identificação de onde devem ir os pacientes que buscam vacinas. É importante, mesmo assim, que todos fiquem atentos na divulgação dos locais e datas para que não haja confusão. Infelizmente a campanha anda lentamente, no mesmo ritmo da entrega das vacinas”, explica o controlador.