Sala de Situação reforça atenção ao meio ambiente com monitoramento e fiscalização no Estado

peixe-post-madeirao-48x48

Sala de Situação reforça atenção ao meio ambiente com monitoramento e fiscalização no Estado

peixe-post-madeirao

Considerando a temporada do verão Amazônico associada ao período de estiagem, o Governo de Rondônia tem reforçado os trabalhos de monitoramento e fiscalização dos focos de calor em Unidades de Conservação em todo o Estado. O monitoramento é realizado com auxílio de dados da Sala de Situação, que utiliza imagens do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – Inpe.

Os levantamentos são realizados pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental – Sedam, com ações da Coordenadoria de Geociências – Cogeo. De acordo com o coordenador da Cogeo, Guilherme Vilela, a equipe segue atenta às informações do painel de monitoramento e alerta sobre os focos de calor. “Com o acompanhamento diário e as atividades de fiscalização é possível acompanhar progressivamente, como a área pode ser protegida. Para seguirmos nesse processo de queda no desmatamento é preciso intensificar o monitoramento ambiental”, destacou.

Monitoramento ambiental é intensificado

Para o secretário de Estado do Desenvolvimento Ambiental, Marco Antonio Lagos, o Estado está atendo à incidência de focos de calor, a exemplo do Parque Estadual de Corumbiara, uma vez que apresenta um risco significativo para a biodiversidade local. “Este parque desempenha um papel fundamental na preservação de diversas espécies, incluindo animais ameaçados de extinção, como o cervo-do-pantanal e o morcego-pantaneiro. O monitoramento que ocorre no local representa o comprometimento com o meio ambiente”, destacou.

MOBILIZAÇÃO

O secretário informou, ainda que,  a Sedam já mobilizou equipes de técnicos para investigar a causa desses incêndios e tomar medidas apropriadas. “Uma equipe da Secretaria foi prontamente enviada ao local, com o objetivo de investigar e tomar as medidas necessárias”.

O Parque Estadual está cercado por áreas de campos abertos, que são queimadas como método de limpeza. As queimadas acidentais, seja por raios ou por descuido humano, também não são descartadas. Para denúncias ou informações adicionais, sobre incêndios, entre em contato com a Ouvidoria Ambiental, pelo contato através do número 0800 666 1150.