Operação descobre prejuízo de R$ 80 milhões em danos ambientais em parque estadual de RO

peixe-post-madeirao

Operação descobre prejuízo de R$ 80 milhões em danos ambientais em parque estadual de RO

peixe-post-madeirao
Operação descobre prejuízo de R$ 80 milhões em danos ambientais em parque estadual de RO


Operação Bico Fechado combate crimes no Parque Estadual Guajará-Mirim e na área ao redor da unidade de conservação, conhecida como “Bico do Parque”. Parque Estadual Guajará-Mirim
Sedam-RO/Reprodução
Foi deflagrada na manhã desta quarta-feira (9) a Operação Bico Fechado, para combater a ocupação, comércio e a exploração ilegal de recursos naturais no Parque Estadual Guajará-Mirim e na área denominada “Bico do Parque”, que é Zona de Amortecimento da unidade de conservação.
As investigações começaram em setembro de 2020, após a identificação de uma organização criminosa articulada para invadir, de forma ilegal, a área denominada “Bico do Parque”. Até o momento, foram calculados que os danos ambientais passam dos R$ 80 milhões.
São cumpridos 11 mandados de busca e apreensão nos municípios de Nova Mamoré e Porto Velho com objetivo de desarticular o grupo criminoso e frear os desmatamentos na área.
ALE-RO aprova projeto de lei que altera limites de reserva extrativista e parque estadual
Governador de Rondônia aprova lei que reduz limites de reservas florestais
Conhecido pelas cachoeiras e trilhas, parque de RO que será reduzido tem histórico de invasão e até emboscada contra a polícia
A operação é organizada pelo Ministério Público do Estado de Rondônia (MP-RO), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Guajará-Mirim, com o apoio do Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e a Polícia Civil, por meio das Delegacias Regionais de Guajará-Mirim, de Nova Mamoré e do Departamento de Polícia Especializado.
Segundo o MP, o parque e sua Zona de Amortecimento formam uma das regiões ambientais mais “relevantes e sensíveis” de Rondônia e há mais de um ano foi confirmado o aumento do desmatamento do local.
O nome da operação faz referência à área da Zona de Amortecimento do Parque Estadual Guajará-Mirim.
Zona de Amortecimento, também é conhecida como Zona Tampão. Ela é uma área ao redor de uma unidade de conservação para “filtrar os impactos” que ocorrem fora dela, como, poluição, invasões e avanço da ocupação humana.
VÍDEOS: veja mais notícias de Rondônia