Mãe de mulher morta ao enfrentar bandidos para defender marido e bebê fala da saudade: ‘Espero o pedido de bênção toda manhã, mas nunca chega’

peixe-post-madeirao

Mãe de mulher morta ao enfrentar bandidos para defender marido e bebê fala da saudade: ‘Espero o pedido de bênção toda manhã, mas nunca chega’

peixe-post-madeirao
Mãe de mulher morta ao enfrentar bandidos para defender marido e bebê fala da saudade: 'Espero o pedido de bênção toda manhã, mas nunca chega'

Daniele Santo Reis morreu após tentar defender marido e a filha bebê de atirador em Porto Velho. Polícia pede ajuda à população para localizar o 4º suspeito na morte de Daniele. Mãe de Daniele diz que ainda espera mensagem de filha para pedir a benção
arquivo pessoal
A mãe de Daniele Santos Reis, assassinada a tiros em agosto ao enfrentar bandidos para defender o marido e a bebê de 10 meses, contou como tem sido os dias de superação e a saudade após perder sua filha mais velha.
Em entrevista ao g1, Marineide Vieira dos Santos, 52 anos, contou que a filha Daniele sempre defendia a família e que era uma mãe protetora.
“Ela podia estar brigada com alguém aqui casa, mas se alguém mexesse com a gente, ela era um tipo de pessoa que tomava as nossas dores e nos defendia. Acho que esse foi o motivo de tudo ter acontecido”, acredita.
Além da bebê que estava no local do ataque, Daniele deixou um filho de 12 anos. Após o crime, a filha de 10 meses ficou com o pai, o homem que aparece no vídeo correndo do atirador, enquanto Daniele tenta impedir o criminoso de matá-los (assista aqui).
Segundo a mãe da vítima, Daniele já planejava o primeiro aniversário da bebê.
“Os filhos da Daniele eram tudo para ela. Ela estava toda empolgada e vivia os preparativos do aniversário da filha que ela sempre quis. Todos os dias ela me mandava fotos da menina e dos preparativos. Era a felicidade dela”, lembra.
Atualmente, o filho mais velho de Daniele, com 12 anos, está morando com Marineide.
Suspeito de matar mulher em Porto Velho é localizado em balada no MS após postar foto nas redes sociais
16 mulheres foram mortas no segundo trimestre de 2021 em RO, sendo três delas vítimas de feminicídio
“Deus é sempre perfeito. O meu neto sempre foi apegado a mim. Quando Daniele foi morta ele fiou ainda mais dependente. Ele no início estava com muita mágoa de quem matou a mãe, mas agora está mais tranquilo. Eu sei que ela morreu para salvar a filha da filha pequena”, conta.
Mulher é morta na frente do marido em Porto Velho
arquivo pessoal
Missão de educar
Além da dor de perder a filha mais velha, novos desafios surgiram na vida de Marineide. Com o neto em idade escolar, por exemplo, Marineide diz contar com apoio do restante da família para ajudar no estudos do menino.
“Ela [Daniele] era quem sentava com ele e ensinava. Eu não entendo essas atividades da escola, eu não consigo ajudar. Quando o tio dele vem aqui, ajuda, mas eu não consigo ajudar”, conta.
A esperança de que os assassino paguem pelo assassinato é o que dá forças para Marineide.
“Todos os dias me pergunto: Por que Deus não deu uma segunda chance para minha filha? Fico esperando a Daniele mandar a mensagem pedido a bênção toda manhã, mas a mensagem nunca mais chegou”, desabafa.
Crime e prisões de suspeitos
Na noite do dia 18 de agosto, Daniele Santos Reis foi morta a tiros ao ‘enfrentar’ um bandido armado para defender o marido e a filha bebê no bairro São João Bosco, na capital de Rondônia (Veja o vídeo).
O atirador foi identificado pela Polícia Civil como Alex Dias do Nascimento. Ele foi preso na capital no último dia 14 de setembro.(Assista ao momento que o suspeito chega na Delegacia de Homicídios).
Outros dois suspeito do homicídio, Judson Gabriel Barros de França e Lucas Simões Ferreira, também foram presos.
André Ryus Silva de Souza, segue foragido
Divulgação
André Ryus Silva de Souza ainda é o único foragido suspeito de matar Daniele.
A Polícia Civil afirma contar com a ajuda da população para chegar na localização do suspeito. As denúncias podem ser feita pelo telefone 197, da Civil. A pessoa não precisa se identificar. Outro contato é o WhatsApp da própria Delegacia de Homicídios: (69) 9 8479-9243.