Fotógrafo cria projeto para registrar ‘presença e importância’ de vendedores e artistas de rua em Porto Velho

peixe-post-madeirao

Fotógrafo cria projeto para registrar ‘presença e importância’ de vendedores e artistas de rua em Porto Velho

peixe-post-madeirao
Fotógrafo cria projeto para registrar 'presença e importância' de vendedores e artistas de rua em Porto Velho

Fotógrafo Marcelo Xavier quer ajudar a documentar o cotidiano urbano da cidade. Vídeos dos ensaios somam mais de 30 mil visualizações nas redes sociais e já ajudaram a impulsionar vendas de ambulante. Vendedor ambulante Manuel
Marcelo Xavier
Passar por vendedores ambulantes e artistas de rua em avenidas de Porto Velho faz parte do cotidiano dos moradores da capital. Mas por muitas vezes, a pressa no trânsito e a agitação da rotina faz com que o trabalho desses profissionais acabe passando despercebido.
Pensando nisso, o fotógrafo Marcelo Xavier desenvolveu um projeto social para fotografar os trabalhos e vivências de profissionais autônomos em espaços públicos da cidade. A ideia é registrar a presença deles no cotidiano urbano.
“A fotografia é um registro da existência de uma pessoa nesse mundo. Para além das boas memórias, familiares e amigos, fica também o registro da presença no cotidiano da cidade. A ideia é documentar, sempre com dignidade, a presença e importância desses profissionais no cotidiano urbano”, explicou o fotógrafo.
Reconhecimento na internet
Artista de rua, Felipe
Marcelo Xavier
Marcelo iniciou o projeto na semana passada fotografando o artista de rua Felipe, que trabalha com malabarismo vestido de palhaço em semáforos de Porto Velho. Todo o processo de convidar o artista para fazer as fotos e o resultado delas, foram gravados em um vídeo que o fotógrafo publicou nas redes sociais.
O segundo ensaio foi com o Manuel, que vende pipoca na avenida Jorge Teixeira. Os vídeos do ensaio com o pipoqueiro somam mais de 30 mil visualizações no perfil de Marcelo.
Segundo o fotógrafo, isso ajudou a impulsionar as vendas do ambulante que, mesmo sem usar redes sociais, ficou feliz em ter o reconhecimento na internet.
Initial plugin text
“Como o senhor Manuel não acessa redes sociais, achei importante materializar para ele os registros que fiz. Motivo que imprimi algumas fotos. Na entrega das fotos, vi a felicidade dele em dizer que seus familiares e muitos clientes chegaram dizendo que viram na ‘internet'”, contou.
“A fotografia é a escrita com a luz. Lançar luz nesses profissionais que, muitas vezes, passam invisíveis no olhar das pessoas. É se importar para promover dignidade, reconhecimento e para destacar o valor social do trabalho desenvolvido nas ruas de Porto Velho”, explicou.
Vendedor ambulante Manuel com fotografia do ensaio em mãos
Marcelo Xavier
Fotografia e Direitos Humanos na Amazônia
Marcelo Xavier é professor de Direito na Universidade Federal de Rondônia e desde 2017 tem praticado a fotografia nas horas vagas, como hobby e trabalho. Este ano, o fotógrafo criou um projeto de extensão na Unir chamado “Fotografia e Direitos Humanos na Amazônia”.
No projeto, os alunos que participarem farão práticas de fotografias com temáticas diversas, como moradia, ribeirinhos, indígenas e os vendedores ambulantes, relacionados à Amazônia.
*Estagiária do g1 Rondônia
VÍDEOS: veja mais notícias de Rondônia