Fora da prioridade de vacinação contra Covid-19, Polícia Civil limita atendimentos presenciais nas delegacias de RO

peixe-post-madeirao

Fora da prioridade de vacinação contra Covid-19, Polícia Civil limita atendimentos presenciais nas delegacias de RO

peixe-post-madeirao
Fora da prioridade de vacinação contra Covid-19, Polícia Civil limita atendimentos presenciais nas delegacias de RO


Apenas casos como flagrantes, registros de crimes graves e que exijam imediata intervenção policial serão tratados presencialmente. Governo do estado diz que vacinou 10 policiais civil que atuam junto ao Corpo de Bombeiros. Delegacia de Extrema
Divulgação/Polícia Civil
A Direção-geral da Polícia Civil de Rondônia publicou nesta segunda-feira (5) uma portaria que limita os atendimentos presenciais nas delegacias do estado por conta da pandemia. Apenas crimes graves e outros casos excepcionais serão atendidos no local pelos agentes (veja lista abaixo).
Dentre as justificativas apresentadas no documento, a primeira é o fato de os policias civis não estarem no grupo prioritário para vacinação contra a Covid-19. O diretor-geral Samir Fouad Abboud também citou a “necessidade de estabelecer medidas temporárias de prevenção de contágio no âmbito da Polícia Civil” e o caráter essencial das atividades da instituição.
Veja os atendimentos mantidos presencialmente nas delegacias:
Registro de homicídio, feminicídio, estupro, violência doméstica e contra crianças e adolescentes, sequestro e cárcere privado, roubo e furto de veículo;
Casos em que possam ocorrer o perecimento da prova, exigindo imediata intervenção policial;
Autos de prisão em flagrante;
Remoção de cadáver e perícias médicos-legais;
Outros a critério da autoridade policial.
Conforme a portaria, quando presencial, os registros serão feitos um a um, devendo as demais pessoas aguardarem do lado de fora das delegacias, usando máscaras e respeitando o distanciamento.
Os casos fora da lista acima deverão registrados pela Delegacia Virtual. A qualificação jurídica cabe à autoridade policial que receber a ocorrência registrada online.
Desde o último sábado (3), o governo do estado começou a vacinar integrantes da forças policiais, armadas e de salvamento. Foram atendidos policiais militares, rodoviários federais, bombeiros militares e integrantes das forças armadas.
Carro da Polícia Civil
Jonatas Boni/G1
Polícia Penal
O Sindicato dos Policiais Penais e Agentes de Segurança Socioeducativos (Singeperon) se manifestou nesta segunda-feira, pois o grupo que atua no sistema penitenciário não foi incluído entre os atendidos com a vacinação nesta fase. O sindicato pediu “tratamento igualitário aos servidores da segurança pública que estão na linha de frente nessa pandemia” depois que nenhum policial penal foi vacinado na ação do final de semana.
Segundo o Singeperon, Rondônia é o segundo estado do país no número de mortes de servidores da área por Covid-19, com 13 óbitos.
Outro lado
Em nota enviada à CBN Amazônia, o governo do estado disse que vacinou 10 policiais civis que trabalham nas operações de restrições coordenadas pelo Corpo de Bombeiros, de acordo com as notas e informes técnicos.
“O público que compõem o segmento de Segurança Pública obedeceu a demanda enviada conforme cada corporação, após reunião realizada com a participação de todos os envolvidos, e os demais serão atendidos conforme emissão das notas técnicas do Ministério da Saúde (MS)”, diz a nota.
VÍDEOS: Veja as últimas notícias de Rondônia