Eclipse lunar parcial pode ser visto de Rondônia nesta sexta-feira (19); saiba qual horário observar

peixe-post-madeirao

Eclipse lunar parcial pode ser visto de Rondônia nesta sexta-feira (19); saiba qual horário observar

peixe-post-madeirao
lunar-eclipse-3575179

Fenômeno acontece quando a Lua é coberta pela sombra da Terra, ganhando a coloração avermelhada. Evento será o mais longo em 580 anos e poderá ser assistido por todas as regiões do Brasil, principalmente por estados do Norte. Eclipse lunar
Pixabay
Os moradores de Rondônia poderão assistir o mais longo eclipse lunar parcial em 580 anos que está previsto para acontecer na madrugada desta sexta-feira (19). Este fenômeno ocorre quando a Lua é coberta pela sombra da Terra. Será possível observar de todas as regiões do Brasil, mas principalmente em estados do Norte.
Segundo o doutor Ariel Adorno, professor da Universidade Federal de Rondônia (Unir) e coordenador do Clube de Astronomia e Ciências de Rondônia (CAR), cada localidade poderá observar uma porcentagem do eclipse.
Em Porto Velho, por exemplo, no auge do fenômeno, a Lua terá 97% de sua superfície coberta pela sombra da Terra e ganhará uma aparência avermelhada.
Melhores horários para observar
Conforme Ariel Adorno, os rondonienses poderão contemplar o eclipse lunar parcial por volta de 3h30 às 5h da manhã desta sexta-feira (19), não sendo necessário subir em locais altos ou usar lentes e equipamentos de longo alcance. A visibilidade dependerá de condições meteorológicas.
Rondonienses poderão observar eclipse lunar parcial na madrugada desta sexta (19)
Edgar Su/Reuters
O eclipse parcial começa por volta das 3h19 no horário local, e deve durar pouco mais de 3h. Porém uma hora antes, quando a Lua entra na penumbra da Terra (sombra parcial), já haverão sinais no céu. Nesse momento, o satélite escurece de forma sutil.
O pico deve acontecer às 5h, mas, como a Lua já estará abaixo do horizonte no Brasil, não será possível mais vê-la.
O eclipse lunar parcial poderá ser visto em toda a América do Norte, bem como em grandes partes da América do Sul, Polinésia, leste da Austrália e nordeste da Ásia.
Eclipse lunar geralmente torna o satélite natural da Terra vermelho por alguns minutos
Getty Images via BBC
‘Torcer para não chover’
Apesar de Rondônia estar localizado em um ponto geográfico favorável para observar o fenômeno, o professor explica que só será possível registrar o eclipse caso o céu não fique nublado.
“Estamos na expectativa do céu abrir. Só torcer para não chover e acordar madrugada”, disse.
Contudo, segundo o Sistema de Proteção da Amazônia (Sipam), a previsão para esta sexta-feira (19), é de chuvas a qualquer hora do dia e de céu nublado em todo o estado, inclusive no horário do fenômeno.
Eclipse lunar parcial
Um eclipse lunar ocorre quando o Sol, a Terra e a Lua se alinham de forma que a Lua passa pela sombra da Terra. Em um eclipse lunar total, a Lua inteira fica coberta pela sombra da Terra, chamada de umbra. Durante o fenômeno, a Lua adquire uma coloração avermelhada.
Eclipse lunar
Arte/G1
Antes desse, o mais longo eclipse lunar parcial em duração foi registrado em 18 de fevereiro de 1440, segundo a National Aeronautics and Space Administration (Nasa).
LEIA MAIS:
LUA DE SANGUE: Cor é vermelha da Lua acontece pela mesma razão que faz o céu ser azul; entenda
NOVAS PESQUISAS: Como a Lua afeta o seu humor
VÍDEO: Última superlua e eclipse lunar ocorreram em maio
Chuva de meteoros
Além do eclipse parcial da lua, a noite da sexta-feira (19) também vai contar com uma chuva de meteoros Leônidas, associada ao cometa Tempel-Tuttle. Segundo o astrofísico e professor da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) Antônio Carlos Miranda, quem prestar atenção vai conseguir acompanhar os dois fenômenos.
“Chuva de meteoros é melhor em uma noite que o céu está mais escuro. A luz da lua cheia ofusca um pouco, não totalmente, mas vai dar para curtir os dois. Vê meteoro e vê lua eclipsada, é um programa astronômico”, disse o professor.
Conforme Ariel Adorno, o pico da chuva de meteoros aconteceu na madrugada desta quinta (18), mas ainda poderá ser vista por moradores de Rondônia.
*Estagiária do g1 Rondônia.
VÍDEOS: veja mais notícias de Rondônia