Dois homens são presos por agredirem esposas; uma das vítimas foi ferida com um facão em Porto Velho

peixe-post-madeirao

Dois homens são presos por agredirem esposas; uma das vítimas foi ferida com um facão em Porto Velho

peixe-post-madeirao
Dois homens são presos por agredirem esposas; uma das vítimas foi ferida com um facão em Porto Velho

Crimes foram registrados com poucas horas de diferença. Suspeitos foram presos em flagrante. Suspeitos foram levados à Central De Flagrantes Porto Velho
Jheniffer Núbia/G1
Duas ocorrências de lesão corporal contra mulheres foram registradas durante a madrugada desta quinta-feira (18) na Central de Flagrantes em Porto Velho. Os companheiros das vítimas foram presos.
Soco na boca
O primeiro caso foi de uma jovem de 18 anos, agredida no bairro Teixeirão, zona leste da capital. De acordo com o boletim de ocorrência, por volta das 2h a Polícia Militar (PM) se aproximou com uma viatura para atender o chamado e a vítima foi correndo ao encontro dos policiais.
Na ocasião, os PM notaram que ela ela estava com uma lesão nos lábios. A jovem relatou então conviver com companheiro, um rapaz de 20 anos, há cerca de três anos e que tem um filho com ele. Ela também disse estar grávida atualmente.
Conheça três projetos que dão suporte para mulheres vítimas de violência doméstica em Porto Velho
G1 entra em casa que ajuda mulheres agredidas em RO; n°de atendimentos cresceu quase 300% desde 2010
Quanto a lesão nos lábios, a jovem explicou que o companheiro foi buscá-la de bicicleta no trabalho, mas quando estavam chegando em casa, na rua Tárcila do Amaral, ele ficou enfurecido por ciúmes e a empurrou. Ela disse que caiu no chão e se machucou.
Quando o casal chegou em casa, ele deu um soco na boca dela e causou a lesão. A vítima ressaltou que ele é sempre agressivo.
Depois de ouvir a vítima, e realizar buscas nas proximidades da casa do casal, o agressor foi encontrado pela PM.
Após ser indagado, ele confessou ter dado um soco na boca da companheira e tentou se justificar dizendo que foi “um momento da raiva”. Diante dos fatos, foi dada voz de prisão ao conduzido por lesão corporal.
Pescoço, queixo e dedo lesionados
O segundo caso de violência doméstica foi contra uma mulher de 36 anos no bairro Aponiã. Por volta das 6h desta quinta-feira, a vítima foi à Central de Flagrantes e contou aos policiais que o companheiro havia colocado a ponta do facão no pescoço dela. Ela mostrou aos policiais a lesão feita por agressor.
À PM, a mulher ainda narrou que estava em casa com o companheiro, um idoso de 60 anos, e que os dois ingeriam bebida alcoólica. Em determinado momento o suspeito começou a discutir e depois tentou enforcar a vítima.
Não satisfeito, ele pegou um facão e apontou para o pescoço da vítima, o que causou uma lesão no pescoço e queixo dela. A mulher disse ainda que o marido mordeu o dedo da mão direita.
Depois das agressões, a vítima disse que conseguiu escapar do homem e saiu correndo para a rua. Ela conta que estava somente de sutiã e calcinha, mas, após pedir ajuda, foi acolhida por uma travesti.
Depois de ouvir a mulher, a PM foi até residencia dela, na rua Bidu Saião, para encontrar o agressor. O idoso foi localizado e preso. A mulher autorizou a entrada da PM na casa.
No quarto do casal, em cima da cama, foi encontrado o facão. Ao ser questionado, o agressor, que aparentava ter ingerido bebida alcoólica, confirmou o desentendimento com a vítima.
Diante dos fatos, foi dada a voz de prisão ao conduzido, dito os seus direitos constitucionais, depois levado à Central de Flagrantes da capital.
Ciclo da violência contra a mulher
A violência doméstica funciona como um sistema circular que apresenta três fases. A primeira é a da “tensão”, em que a vítima vive por parte do companheiro humilhações, ofensas e provocações.
Depois vem a etapa da “explosão” em que o agressor força o sexo, dá tapas e socos na mulher.
A terceira fase é a chamada “lua de mel”, o companheiro faz juras de amor, pede desculpas, além de fazer promessas e dar presentes.
LEIA TAMBÉM:
Três casos de violência contra mulher são registrados em um dia em Nova Mamoré, RO
Homem é preso após ameaçar mulher com espingarda em zona rural de Porto Velho
Família e vítimas da violência doméstica falam da dor nos lares: ‘Me batia e dizia que gravidez não era doença’