Cacoal, RO, é classificada em risco médio para proliferação do Aedes Aegypti, aponta LIRAa

peixe-post-madeirao

Cacoal, RO, é classificada em risco médio para proliferação do Aedes Aegypti, aponta LIRAa

peixe-post-madeirao
Cacoal, RO, é classificada em risco médio para proliferação do Aedes Aegypti, aponta LIRAa

Mosquito é transmissor de quatro arboviroses. Mais de 100 casos de dengue, zika e chikungunya já foram confirmados no município este ano. Criadouro do mosquito Aedes aegypti, em água parada
Prefeitura de Porto Velho/Divulgação
A cidade de Cacoal (RO), na Zona da Mata, foi classificada em risco médio de proliferação do Aedes Aegypti, conforme o Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRAa) divulgado nesta quarta-feira (17). O mosquito é transmissor de doenças, como a dengue, febre amarela urbana, zika e chikungunya.
O LIRAa foi realizado na semana passada e mostrou que larvas do mosquito foram encontradas em pelo menos 1,7% do município. Além disso, também foi confirmado o registro de 117 casos de arboviroses em Cacoal neste ano, sendo que a maior parte foi em moradores do bairro Riozinho.
Isso acendeu o alerta para a Secretaria Municipal de Saúde, que iniciou um programa de conscientização na cidade, através de colagens de cartazes com informativos em avenidas do município.
Cacoal é classificada como risco médio de infestação do Aedes Aegypti
Transmissão
O Aedes aegypti possui listras brancas no tronco, cabeça e pernas, característica que o diferencia dos demais mosquitos.
Mosquito Aedes aegypti; dengue
Divulgação/SESA
Segundo o Ministério da Saúde, o período do verão é o mais propício à proliferação do mosquito. Contudo, mesmo durante o inverno, por causa das chuvas, é necessário cuidar dos quintais de casa para evitar a proliferação.
De acordo com o boletim epidemiológico da Agência de Vigilância em Saúde de Rondônia (Agevisa), os principais focos de criação dos mosquitos são pneus, recipientes plásticos, tampinhas, latas, sucatas e entulhos.
Fiscal analisa água parada em prato de vaso de planta, um dos locais onde o mosquito da dengue deposita seus ovos
Breno Esaki/ Agência Saúde
Sintomas
Apesar do mesmo pernilongo transmitir as quatro doenças, alguns sintomas se diferem. No caso da dengue, os sintomas mais comuns são dor atrás dos olhos acompanhada de febre alta. Em casos graves, a doença pode causar hemorragias, encefalopatia, choque circulatório, problemas cardiorrespiratórios, insuficiência hepática, hemorragia digestiva e derrame pleural, além de poder levar a óbito.
Dor de cabeça e febre alta são os sintomas mais comuns da dengue
Getty Images via BBC
O zika vírus provoca febre baixa, manchas na pele e coceira, podendo causar microcefalia em bebês nascidos de gestantes infectadas. A chikungunya desenvolve dores nos pulsos, mãos e tornozelos, acompanhada de inchaços e erupções na pele.
Já a febre amarela causa febre súbita, calafrios, dor intensa na cabeça e nas costas, náuseas e vômitos. Em casos graves, a pessoa pode apresentar icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos.
O que fazer para prevenir?
Lixo descartado da maneira incorreta pode servir de criadouro para mosquitos
Reprodução EPTV
Usar tampas adequadas para manter caixas-d’água, cisternas, tonéis e outros recipientes que podem acumular água bem fechados
Trocar diariamente a água dos bebedouros de animais e lavá-los. Se tiver plantas aquáticas, troque a água e lave, principalmente por dentro, com escova e sabão, assim como outros utensílios usados para guardar água em casa, como jarras, garrafas, potes e baldes
Limpar com frequência a piscina, a laje e as calhas removendo tudo que possa impedir a passagem da água. Ficar de olho no telhado e no terraço, caso more em apartamento, para evitar o acúmulo de água
Usar água sanitária ou desinfetante semanalmente para manter os ralos limpos e verificar se estão entupidos. Não vai utilizá-los? Mantenha-os vedados
Jogar no lixo todo objeto que possa acumular água
Instalar a caixa do ar-condicionado de forma que não acumule água
Preencher as depressões em terrenos que podem se tornar possíveis poças de água parada
Ficar atento aos cuidados com bromélias, babosas e outras plantas que podem acumular água
Deixar lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas, para evitar formação de poças d’água
Retirar água acumulada na área de serviço, principalmente atrás da máquina de lavar roupa.
VÍDEOS: veja mais notícias de Rondônia