Adolescente descobre caco de vidro dentro do pé um ano após acidente com garrafa em RO

peixe-post-madeirao

Adolescente descobre caco de vidro dentro do pé um ano após acidente com garrafa em RO

peixe-post-madeirao
Adolescente descobre caco de vidro dentro do pé um ano após acidente com garrafa em RO

Paciente contou ao médico que sentia fortes dores e só “andava na ponta dos dedos” durante todo esse período. Cirurgia foi em Ariquemes (RO). Adolescente passa por cirurgia para retirar caco de vidro após 1 ano de acidente com garrafa
Arquivo Pessoal
Um adolescente de 15 anos, morador de Machadinho D’Oeste (RO), passou por cirurgia para retirar um caco de vidro que estava dentro do seu pé esquerdo desde um acidente com uma garrafa, há cerca de um ano. O procedimento cirúrgico aconteceu na quinta-feira (9) no Hospital Regional de Ariquemes (RO).
Segundo o médico Mauro Lopes, responsável pela cirurgia, no ano passado o paciente sofreu um acidente com uma garrafa de vidro, que ocasionou um corte profundo no pé esquerdo.
Na época, o adolescente foi atendido em uma unidade de saúde local e a equipe que o atendeu fez uma sutura no pé, “fechando o corte” com o caco de vidro dentro.
Entretanto, mesmo após o procedimento, o rapaz continuou sentindo dores e relatou que sentia “um corpo estranho” no pé lesionado.
Ao G1, o médico Mauro Lopes contou que o paciente passou cerca de 1 ano sem conseguir pisar com o calcanhar no chão e só “andava nas pontas dos dedos”.
Raio-X do pé esquerdo, evidenciando caco de vidro
Arquivo Pessoal
Após procurar assistência médica algumas vezes, foi realizado um exame de raio-x que confirmou a presença de um pequeno objeto no pé do adolescente.
Após isso, foi marcada a cirurgia para quinta-feira (9) e o adolescente viajou de Machadinho D’Oeste para Ariquemes, onde então foi retirado o caco de vidro do pé.
“Após acordar do procedimento, o paciente nem acreditou que já havíamos resolvido seu problema. Ficou super satisfeito, tanto ele como sua família”, contou o médico.
Três pontos foram colocados no calcanhar do adolescente após a retirada do objeto.
*Estagiária do G1 RO sob a supervisão de Jônatas Boni.