“Roda de leitura” inserida no projeto “Pró-Leitura” aproxima diretores de unidades prisionais e comunidade, em Porto Velho

peixe-post-madeirao-48x48

“Roda de leitura” inserida no projeto “Pró-Leitura” aproxima diretores de unidades prisionais e comunidade, em Porto Velho

peixe-post-madeirao

Para participar das correções dos resumos, os voluntários precisam ter no mínimo graduação em nível médio

Com o intuito de melhorar as relações entre a comunidade e os gestores penitenciários, foi inserido ao projeto “Pró-Leitura”, uma ação denominada “Roda de Leitura”, que consiste na correção semanal das atividades realizadas por reeducandos das unidades prisionais, em Porto Velho, após passarem por capacitação. A ação se baseia em corrigir os resumos confeccionados por internos do regime fechado depois de concluírem a leitura do “livro do mês”, dentro do direito ofertado pela Lei de Execuções Penais (LEP), e a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), a ressocialização através da educação.

A iniciativa da Sejus tem a parceria da Associação de Familiares e Amigos de Presos de Rondônia (Afaparo), que esteve responsável por designar ao projeto associados com formação superior, técnica ou o ensino médio completo, para receberem a capacitação fornecida pela secretaria, a fim de desenvolver a função dos corretores, em que analisam veracidade de caligrafia, desenvoltura para resumir o texto e empenho, uma vez por semana, e em cada semana em unidades diferentes.

O investimento em ressocialização, por meio da educação, segue sendo sendo desenvolvido pelo governo do estado. O governo junto ao Fundo Penitenciário (Fupen), investiram R$ 604.228,00 (seiscentos e quatro mil e duzentos e vinte oito reais), na compra e instalação de computadores, fones, webcams, mesas e cadeiras nas bibliotecas das unidades prisionais de Rondônia.

Biblioteca da Penitenciária Estadual Jorge Thiago Aguiar Afonso, em Porto Velho

O diretor-geral da Penitenciária Milton Soares de Carvalho, Alecsandro Gomes, local da última correção de resumos, que aconteceu na segunda-feira (6), comentou que se colocou à disposição dos familiares, da Afaparo, até mesmo para se debater, colaborar, receber demandas, críticas para construir estratégias de conseguir fornecer um cumprimento de pena mais humano.

PRÓ-LEITURA

O projeto é desenvolvido nas unidades prisionais desde 2017, e consiste no plano de ressocialização por meio da leitura. Nos primeiros três meses de 2023, foram lidos três livros e realizados 1.650 resumos pelos internos, a cada mês, conforme a lei de execução penal é remido quatro dias de pena por livro lido, mas a remição só é registrada perante análise minuciosa dos resumos, onde é verificada a autenticidade da caligrafia e fidelidade da história contada do livro para o resumo.

O “Pró-Leitura” recebeu inúmeras doações de livros para a manutenção do projeto. O secretário da Sejus, Marcus Rito enfatiza a importância dos investimentos realizados pelo governo do estado, na modernização das bibliotecas prisionais, “hoje, com o acesso aos equipamentos, os servidores podem baixar livros gratuitos para os reeducandos, que tenham enredos focados na prática de boas condutas, contribuindo para a mudança de comportamento e criação de novas perspectivas de vida”, concluiu.

O post “Roda de leitura” inserida no projeto “Pró-Leitura” aproxima diretores de unidades prisionais e comunidade, em Porto Velho apareceu primeiro em Governo do Estado de Rondônia.