Quadrilha que “importava” cocaína da Bolívia e enviava para outros Estados é alvo da PF

peixe-post-madeirao

Quadrilha que “importava” cocaína da Bolívia e enviava para outros Estados é alvo da PF

peixe-post-madeirao
operacao criptonita

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (28), a Operação Criptonita, para cumprir 31 mandados judiciais, sendo 11 de Prisão Preventiva e 20 de Busca e Apreensão, todos expedidos pela3ª Vara Federal da Seção Judiciária em Rondônia. Os mandados judiciais estão sendo cumpridos em Rondônia, Mato Grosso, Bahia, Espírito Santo e Paraná.

As investigações começaram em fevereiro de 2019 para identificar a participação dos integrantes da organização criminosa  sediada na região de Ariquemes, com cadeia de comando devidamente dividida e estruturada, voltada à prática do tráfico de drogas oriundas da Bolívia e remetidas para Espírito Santo.

Durante as investigações da Operação Criptonita, constatou-se que os integrantes do grupo criminoso estabelecido em Ariquemes atuavam recebendo cocaína de fornecedores bolivianos e transportavam o entorpecente para o Estado do Espírito Santo escondido em caminhões e automóveis. Já o outro núcleo da organização, sediado no Espírito Santo, do mesmo modo adquiria maconha do Paraguai utilizando as rodovias do Paraná.

Diante dos fatos apurados, foi possível frustrar quatro remessas de droga dentre cloridrato de cocaína e maconha dos criminosos, totalizando cerca de uma tonelada de substâncias ilícitas apreendidas em flagrantes realizados nas cidades de Rosário d’Oeste/MT, Vilhena/RO, Cachoeiro do Itapemirim/ES e Mimoso do Sul/ES.

Os presos, após serem ouvidos nas sedes da Polícia Federal, serão encaminhados para presídios estaduais e responderão pelos crimes de tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro, cujas penas somadas podem chegar a 35 anos de prisão.

O nome da Operação “CRIPTONITA” surge do slogan utilizado pela organização criminosa nos caminhões transportadores das drogas.