Feed Últimas A Agência Brasil é a agência de notícias da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), que distribui gratuitamente informações de interesse público. As notícias podem ser reproduzidas desde que citada a fonte.

  • Covid-19: 45% dos casos do Rio de Janeiro são da variante delta
    by Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 5:05 pm

    Entre junho e julho, os casos de covid-19 causados pela variante delta do Sars-Cov-2, surgida na Índia, avançaram no estado do Rio de Janeiro e já representam 26,09% do total. Na capital, a delta representa 45% das amostras analisadas. Os dados foram divulgados pela Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária à Saúde (Svaps), da Secretaria de Estado de Saúde (SES) e a estimativa foi confirmada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Das 368 amostras colhidas em todo o estado analisadas na última rodada, 66,58% eram da variante gama, antes chamada de P.1, surgida no Brasil, e 26,09% da variante delta, a B.1.617.2. Na rodada de análises anterior, divulgada no dia 20 de julho e que sequenciou o genoma de 379 amostras coletadas em junho, os resultados apontaram para 78,36% da variante gama e 16,62% da delta. “Dessa forma, é possível afirmar que a variante delta está em circulação no estado do Rio de Janeiro, com tendência de aumento e conversão para se tornar a mais frequente, substituindo a variante gama”, informou a Secretaria de Saúde. Acrescentou que a variante delta foi identificada em 38 municípios nas nove regiões do estado. Entre as variantes de preocupação, determinadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a análise mostrou, ainda, a presença de 0,8% da variante alfa, a B.1.1.7 surgida na Inglaterra. Variante é mais transmissível Não há análises conclusivas, mas os estudos apontam que a variante delta é mais transmissível que as outras, apesar de não haver indícios de que cause infecções mais graves. A análise genômica do novo coronavírus é feita por amostragem, recolhendo exemplos de maior carga viral, em pacientes que podem ter maior gravidade clínica. Desde janeiro, foram avaliadas 3.555 amostras no estado. Segundo a Secretaria de Saúde, a partir deste mês a metodologia vai mudar, passando a ter duas etapas. A primeira vai analisar 300 amostras de pacientes internados em nove hospitais das nove regiões epidemiológicas do estado. Na rodada seguinte, as amostras serão coletadas na rede ambulatorial. Com isso, será possível monitorar qual variante tem causado mais internações. O sequenciamento genômico do coronavírus é um exame diferente do teste diagnóstico de rotina. Ele é feito para identificar modificações sofridas pelo vírus SARS-CoV-2 no estado e embasar políticas sanitárias. Participam do estudo especialistas da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj) e da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio).

  • Meninas do vôlei batem Comitê Olímpico Russo e vão às semifinais
    by Rafael Monteiro - Repórter da Rádio Nacional on agosto 4, 2021 at 3:52 pm

    Invicta, a seleção brasileira de vôlei feminino venceu nesta quarta-feira (4) o Comitê Olímpico Russo (ROC, na sigla em inglês) por 3 sets a 1 e avançou às semifinais da Olimpíada de Tóquio. A partida teve parciais de 23/25, 25/21, 25/19 e 25/22. O confronto aconteceu na Arena de Ariake, na capital Tóquio. É O PAÍS DO VÔLEI 🇧🇷 📸 Julio Cesar Guimarães/COB pic.twitter.com/ycnidhCwSb — Time Brasil (@timebrasil) August 4, 2021 Na próxima fase, a seleção brasileira vai duelar com a Coreia do Sul, que foi derrotada para o Brasil na fase de grupos por 3 sets a 0. O confronto será realizado na sexta-feira (horário de Brasília), ainda sem horário definido. Na primeira fase, as brasileiras terminaram na liderança do Grupo A. Além das coreanas, compunham a chave a República Dominicana, Japão, Sérvia e Quênia. Nestes confrontos, foram apenas três sets perdidos, dois para as dominicanas e um para as sérvias.   O jogo No primeiro set, o Comitê Olímpico Russo ficou á frente no placar durante todo o tempo. Logo no início, ele abriu 4 a 0 no placar. Em seguida, as brasileiras conseguiram reduzir a diferença para um ponto, entretanto as russas venceram a parcial por 25 a 23. Brasil reage a pressão russa - REUTERS/Valentyn Ogirenko O segundo set iniciou mais equilibrado. A primeira vez que o Brasil passou à frente no marcador foi quando estava 3 a 2. Em seguida, as adversárias das brasileiras cresceram na partida, fazendo 8 a 4. As comandadas pelo técnico José Roberto Guimarães precisavam reagir, e conseguiram diminuir a distância para um ponto (9 a 8). Mas as russas estavam alertas no confronto e fizeram 14 a 8. A partir daí começou a reação brasileira, com virada em 18 a 17. Posteriormente, o Brasil fechou a segunda parcial por 25 a 21. Na terceira etapa, o confronto permaneceu equilibrado até o Brasil abrir três pontos de vantagem (7 a 4). Na sequência, as brasileiras emplacaram diferença de cinco pontos (12 a 7). Posteriormente, embora as russas tenham lutado pela virada, sofreram derrota de 25 a 19. O quarto e último set começou parecido com o terceiro, com o placar acirrado até o Brasil fazer 7 a 4. Na sequência, as russas viraram o jogo para 17 a 15. O vira-vira brasileiro começou quando o time de Zé Roberto fez 20 a 19. Na reta final, as brasileiras saíram vitoriosas por 25 a 22. 🇧🇷 x 🇷🇺 PRIMEIRO SET // QUARTO SET 📸 @volleyballworld pic.twitter.com/7Nv92jJSMh — Time Brasil (@timebrasil) August 4, 2021   Seleção masculina também nas semifinais No masculino, a seleção brasileira de vôlei também vai encarar o Comitê Olímpico Russo na madrugada desta quinta-feira (5), à 1h (horário de Brasília). A semifinal será disputada na Arena de Ariake.

  • Distrito Federal bate recorde no total de vacinados em um dia
    by Pedro Peduzzi - Repórter da Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 3:43 pm

    O Distrito Federal bateu o recorde nesta terça-feira (3) no número de pessoas que receberam doses contra a covid-19 em apenas um dia. Segundo a Secretaria de Saúde, 85,9 mil pessoas receberam o imunizante. Deste total, 4.962 tomaram a primeira dose, 10.629 a segunda dose, e 319 a dose única da vacina Janssen, no dia em que teve início a vacinação de quem tem idade igual ou superior a 30 anos. O DF já aplicou a primeira dose (ou a dose única) da vacina em 62,36% de sua população adulta. Segundo a Secretaria de Saúde, 26,65% já estão com a imunização completa. Em nota, o governo do Distrito Federal informou hoje (4) que o agendamento da vacinação para adolescentes de 12 a 17 anos começa nesta quarta-feira, às 14h, pelo site. “Serão disponibilizadas 5 mil vagas. Para agendar, é necessário antes se cadastrar no mesmo site. A vacinação para esse público começa na quinta-feira (5)”, detalhou. Nessa primeira etapa, poderão fazer a marcação pessoas com idade de 12 a 17 anos que tenham síndrome de Down ou autismo. Também podem agendar adolescentes com deficiência. No caso de pessoas com síndrome de Down, não é preciso levar laudo médico. Já para adolescentes com autismo, será necessário apresentar laudo apenas se a pessoa não tiver feito algum atendimento na rede pública do DF nos últimos 12 meses. No site da Secretaria de Saúde é possível se informar sobre como fazer o agendamento. “Caso haja alguma dificuldade na hora de agendar via internet, o cidadão poderá procurar a unidade básica de saúde mais próxima e, com sua equipe de saúde da família, através do agente comunitário de saúde, fazer o agendamento”, explicou a secretaria. *Matéria atualizada às 13h51 para complemento de informação 

  • Brasil bate recorde de mulheres medalhistas em Tóquio com Ana Marcela
    by Staff on agosto 4, 2021 at 3:40 pm

    A medalha de ouro conquistada por Ana Marcela Cunha na maratona aquática foi a oitava de mulheres brasileiras nos Jogos Olímpicos de Tóquio, um recorde para uma edição de Olimpíada, superando as sete de Pequim 2008. Das quatro medalhas de ouro do país até agora em Tóquio, três foram conquistadas por mulheres: além da nadadora Ana Marcela, a ginasta Rebeca Andrade e as bicampeãs olímpicas da vela Martine Grael e Kahena Kunze também subiram ao lugar mais alto do pódio. "Nem nos meus melhores sonhos imaginei que a minha medalha iria ser a do recorde das mulheres", afirmou Ana Marcela, segundo nota no site do Time Brasil. Que momento! 🥇🇧🇷 pic.twitter.com/cSdcPajiFK — Time Brasil (@timebrasil) August 4, 2021 Antes de ela cruzar a linha de chegada em primeiro lugar, o Brasil já havia conquistado dois ouros, duas pratas e dois bronzes com as mulheres, além de ter uma medalha assegurada por Beatriz Ferreira no boxe. Em Pequim 2008, foram sete medalhas. Ana Marcela, que disputou sua primeira Olimpíada com apenas 16 anos nos Jogos de Pequim, é um dos principais nomes do esporte no cenário internacional, mas nunca havia conquistado uma medalha olímpica. "Em 2008, primeira Olimpíada, foi um aprendizado. Em Londres, ficar fora também foi. No Rio, ser cotada como uma das favoritas à medalha e não conseguir, eu soube lidar com isso e tudo que passei me deu mais motivos e gana para ganhar”, disse ela. "Eu sempre acreditei nos meus sonhos, nos da minha família, nos das pessoas que acreditaram em mim. Sou uma pessoa muito realizada principalmente por ter pessoas positivas ao meu lado. Isso me fez sempre continuar. Mesmo não ganhando medalha em 2008, e em 2012, e sendo uma decepção para muitos brasileiros em 2016, acho que sempre acreditei muito naquilo que estava guardado para mim. São 13 anos de espera e essa medalha representa muito”, acrescentou.

  • PF deflagra operação contra importação ilegal de agrotóxicos
    by Pedro Peduzzi - Repórter da Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 3:17 pm

    A Polícia Federal deflagrou, hoje (4), a segunda fase da Operação Terra Envenenada, com o objetivo de combater o ingresso, transporte e comercialização de agrotóxicos ilegalmente importados do Paraguai e da China. O produto entrava no Brasil pelo norte de Mato Grosso. A Justiça Federal expediu 15 mandados de busca e apreensão e dez mandados de prisão, que foram cumpridos nas cidades de Sinop, Sorriso, Feliz Natal, todas em Mato Grosso, além de São Paulo, Campo Grande (MS) e Terra Roxa (PR). Em nota, a PF informou que a investigação originou-se da análise do material e depoimentos colhidos na primeira fase da operação, quando foi desmantelada organização criminosa e apreendida mais de uma tonelada de agroquímicos contrabandeados ou adulterados. “Desde essa etapa inicial, a Polícia Federal intensificou as investigações e identificou grandes grupos de fornecedores regionais e nacionais, cujos líderes e integrantes foram presos nesta data. Foram apreendidos documentos e materiais de interesse para investigação, agrotóxicos, além de armas irregulares”, informou a PF. De acordo a PF, os investigados responderão por comercialização e transporte de agroquímicos de uso proscrito, constituição de organização criminosa, lavagem de dinheiro “e outros crimes que vierem a ser descobertos”. As penas variam de dois a dez anos de reclusão.

  • Vacina da UFRJ contra a covid-19 deve ter testes em humanos este ano
    by Akemi Nitahara – Repórter da Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 2:50 pm

    A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) está desenvolvendo uma vacina contra a covid-19 e deve pedir, ainda este mês, a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar os testes clínicos em humanos. A equipe é liderada pela professora Leda Castilho, do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe). Denominada de UFRJvac, os testes com a vacina em animais foram promissores, segundo a professora. “A vacina está passando pelos últimos estágios de estudos em animais, que são os estudos que a gente chama de pré-clínicos. E, se tudo der certo, ela deve entrar em ensaios clínicos, que são os ensaios em voluntários humanos, até o final desse ano”. Leda explicou que a tecnologia usada pela UFRJ é a da proteína recombinante, que utiliza uma cópia da proteína que recobre a superfície do vírus. A mesma técnica é usada em vacinas como a contra a hepatite B, o papilomavírus humano (HPV) e também na vacina contra a gripe. “Essa tecnologia é facilmente aplicável a outras variantes do coronavírus e a outros vírus também. Mas para cada vírus a gente vai ter que entender e pesquisar qual é a melhor proteína viral que seria usada como componente ativo, o IFA da vacina. No caso do coronavírus já se sabe que é a proteína chamada de spike, a proteína que compõe a espícula, aquela parte pontiaguda do vírus, ela é uma boa IFA para vacinas”, disse a professora. De acordo com ela, a equipe trabalha com diferentes variantes do coronavírus e está preparada para lidar com novas mutações que surgirem. “A gente tem [vacinas com] várias variantes em desenvolvimento, algumas já prontas. Então, até o final do ano, antes de entrar em ensaios em humanos, a gente vai decidir qual é a variante mais importante para seguir adiante no desenvolvimento”, explicou. Tipos de vacina Cada uma das quatro vacinas contra a covid-19 utilizadas no Brasil, até o momento, tem uma tecnologia de desenvolvimento diferente. A CoronaVac, desenvolvida pela biofarmacêutica chinesa Sinovac e produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, utiliza a tecnologia de vírus inativado. Ao ser injetado no organismo, o vírus morto não é capaz de causar a doença, mas induz uma resposta imunológica. O imunizante desenvolvido pela farmacêutica AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford, na Inglaterra, e produzida no Brasil pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), emprega a tecnologia do vetor viral. No caso, é usado o adenovírus, que infecta chimpanzés e é manipulado geneticamente para ser inserido o gene da proteína spike do Sars-CoV-2. A vacina da farmacêutica norte-americana Pfizer, desenvolvida em parceria com o laboratório BioNTech, se baseia na tecnologia de RNA mensageiro sintético, que dá as instruções ao organismo para a produção das proteínas encontradas na superfície do novo coronavírus, estimulando assim a resposta do sistema imune. Por último, a vacina Janssen, do grupo Johnson & Johnson, a única aplicada em apenas uma dose, também utiliza o vetor viral. Nesse caso, foi utilizado um tipo específico de adenovírus geneticamente modificado para não se replicar em seres humanos. Ouça na Radioagência Nacional:  

  • No Rio, vacinação em massa da Maré alcança 36 mil moradores
    by Cristina Indio do Brasil - Repórter da Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 1:58 pm

    A primeira fase da campanha #VacinaMaré imunizou cerca de 36 mil moradores da comunidade da zona norte do Rio, com pelo menos uma dose do imunizante AstraZeneca, produzido pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O número superou a meta inicial de 31 mil pessoas vacinadas e ainda deve aumentar, porque hoje (4) moradores a partir de 18 anos continuam sendo vacinados nas unidades de saúde da Maré e continua a busca ativa entre aqueles que não se vacinaram. Ontem, em visita à comunidade, a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, fez um balanço da ação e destascou os resultados. Participaram da visita os ministros da Saúde, Marcelo Queiroga, e do Turismo, Gilson Machado, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, e a secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Melo. Uma ampla mobilização no território, com ações de comunicação e esclarecimento aos moradores, fez parte da estratégia da campanha que agregou uma rede de voluntários e parceiros locais. Para Nísia Trindade, a mobilização na Maré é exemplar. “A mobilização demonstra a importância da associação entre a academia, movimentos sociais e gestão do [Sistema Único de Saúde] SUS. Ela ressaltou que deve existir uma conjunção entre a mobilização da sociedade e as políticas públicas”, disse. Pesquisa A vacinação em massa na Maré, que faz parte de uma pesquisa da Fiocruz e tem o apoio da Secretaria Municipal de Saúde do Rio e da ONG Redes da Maré, oferecerá dados para mapear a dinâmica de circulação do vírus no município e no país. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou na última terça-feira de balanço da ação na comunidade  - Fernando Frazão/Agência Brasil O ministro Marcelo Queiroga afirmou que iniciativas como esta demonstram que o Brasil está no caminho certo para o combate à covid-19. “Esse ato representa o esforço de todos nós para conhecermos mais sobre a covid-19 e a pandemia que tanta tristeza têm trazido ao povo. As estratégias visam trazer respostas que ainda não temos, para que possamos orientar o futuro da nossa campanha nacional de imunização”, observou. A expectativa é de que, com uma ampla cobertura da população vacinada e com pelo menos uma dose da vacina contra a doença, casos graves e óbitos provocados pela covid-19 diminuam na Maré. A vacinação em massa e a testagem em grande escala da população são os dois pilares do estudo, que é um desdobramento de diversas ações de saúde pública e mobilização social, implementadas no complexo desde junho do ano passado, com o projeto Conexão Saúde - De Olho na Covid. De acordo com a Fiocruz, desde o início da pandemia, com a implementação do projeto, a taxa de letalidade na Maré caiu 86%. Segunda fase A campanha vai continuar com o estudo liderado pela Fiocruz que vai acompanhar, a partir de agora e durante seis meses, os efeitos da vacina em cerca de 8 mil pessoas de 2 mil famílias da Maré. A pesquisa também vai monitorar a circulação de variantes da covid-19 entre os moradores, a ocorrência de casos entre pessoas vacinadas e o nível de proteção de crianças e adolescentes não vacinados. O projeto, que hoje é referência no combate à pandemia em territórios de favelas, oferece gratuitamente serviços de testagem, telessaúde e apoio no isolamento domiciliar a pessoas com covid-19 e foi preponderante para o avanço da pesquisa entre os moradores da Maré. O esquema de vacinação em massa incluiu 145 pontos de vacinação, entre unidades de saúde, escolas, Vila Olímpica e associações de moradores, 500 profissionais de saúde da Prefeitura e 1.620 voluntários.

  • Governo cria rede para melhorar respostas a emergências em saúde
    by Pedrto Peduzzi - Repórter da Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 1:17 pm

    O Ministério da Saúde publicou, no Diário Oficial da União de hoje (4), portaria que institui a Rede de Vigilância, Alerta e Resposta às Emergências em Saúde Pública do Sistema Único de Saúde (Rede Vigiar-SUS), no âmbito do Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica. A criação da rede tem por finalidade “aprimorar a capacidade de preparação e resposta do país às emergências em saúde”. A Portaria nº 1.802 apresenta objetivos e diretrizes da rede, bem como seus integrantes, competências e as responsabilidades que a União, os estados e municípios têm para sua operacionalização. Entre os objetivos da rede está o de fomentar a ampliação da estrutura de vigilância, alerta e resposta às emergências em saúde pública no Sistema Único de Saúde (SUS); fortalecer a capacidade de vigilância, alerta e respostas às emergências em saúde pública; estabelecer estratégias de resposta coordenada às emergências no setor, em articulação com estados, municípios e o Distrito Federal; realizar detecção oportuna de mudanças no cenário epidemiológico, com alerta imediato às instâncias de gestão do SUS; e garantir a articulação e integração das ações de vigilância, alerta e resposta às emergências em saúde pública em instituições públicas e privadas. São também objetivos da rede promover ações oportunas para interromper, mitigar ou minimizar os efeitos de surtos, epidemias e pandemias na saúde da população; desenvolver ações intersetoriais de prevenção e redução de danos causados por surtos, epidemias e pandemias; monitorar e avaliar as ações de vigilância, alerta e resposta às emergências em saúde púbica; e avaliar os potenciais impactos da saúde humana, decorrentes de emergências em saúde pública, para o bem-estar da população. Por intermédio do Ministério da Saúde, caberá à União apoiar a implementação, o incentivo financeiro, monitoramento e a avaliação da Rede em todo o território nacional. Aos estados e municípios caberá implementar e apoiar a execução dessas atividades em suas jurisdições. A Rede Vigiar-SUS terá, como componentes, os centros de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), a Rede Nacional de Vigilância Epidemiológica Hospitalar (Renaveh), a Rede Nacional de Serviços de Verificação de Óbito (RNSVO); e as equipes de Pronta Resposta do Programa de Treinamento em Epidemiologia Aplicada aos Serviços do SUS (EpiSUS).

  • Yuri Mansur fica na 20ª posição de hipismo saltos em Tóquio
    by Rafael Monteiro - Repórter da Rádio Nacional on agosto 4, 2021 at 1:00 pm

    O paulista Yuri Mansur disputou nesta quarta-feira (4) a final da prova individual de hipismo saltos na Olimpíada de Tóquio e encerrou sua participação em 20º lugar. A disputa aconteceu no Parque Equestre, na capital Tóquio. O Brasileiro, de 42 anos, cometeu duas faltas no percurso, o que lhe interrompeu o sonho de subir ao pódio. O desempenho de Mansur foi diferente do obtido ontem (3) na fase classificatória, na qual não cometeu infração. Agora, Yuri Mansur volta a competir nesta sexta-feira (6), às 7h (horário de Brasília) na fase qualificatória por equipes de hipismo saltos. Além dele, representarão o país: Rodrigo Pessoa (Ouro em Atenas 2004 e bronze em Atlanta 1996 e Sydney 2000), Pedro Veniss e Marlon Zanotelli. Caso alcance a classificação, o time brasileiro fará a final no sábado (7), às 7h. Pódio do individual Ben Maher - Campeão na categoria Individual - Reuters/Alkis Konstantinidis O britânico Ben Maher se tornou campeão olímpico ao completar o percurso de desempate em apenas 37s85. O segundo lugar ficou com o sueco Peder Fredricsson, com tempo de 38s02. Já o holandês Maikel van der Vleuten colocou o bronze no peito, com 38s90. 

  • Butantan entrega mais 2 milhões de doses de CoronaVac ao PNI
    by Flávia Albuquerque - Repórter da Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 12:45 pm

    O governo de São Paulo entregou hoje (4) ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) mais 2 milhões de doses da vacina contra covid-19 CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Com a nova entrega, as liberações chegam à marca de 64,8 milhões de doses fornecidas ao Ministério da Saúde desde 17 de janeiro, quando o uso emergencial do imunizante foi aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Segundo informações do governo estadual, em julho foram entregues mais de 10 milhões de doses do imunizante, produzidos a partir de 6 mil litros de Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) recebidos no dia 26 de junho. Na noite do último domingo (1º), o instituto recebeu uma carga de 2 mil litros de matéria-prima para produzir e entregar mais 4 milhões de doses da CoronaVac.  As vacinas liberadas hoje fazem parte do segundo contrato firmado com o Ministério da Saúde, de 54 milhões de de doses do imunizante. O primeiro, de 46 milhões, foi concluído em 12 de maio.

  • Fies: pré-selecionados têm até sexta-feira para complementar inscrição
    by Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 12:40 pm

    Começa hoje (4) e vai até sexta-feira (6) o prazo para que os pré-selecionados para o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) complementem sua inscrição neste que é o certame relativo ao segundo semestre de 2021. A relação dos candidatos pré-selecionados foi divulgada ontem (3), em chamada única. O resultado está disponível na página do Fies. A seleção assegura apenas a expectativa de direito à vaga, já a contratação do financiamento está sujeita às demais regras e procedimentos de formalização do contrato. Os estudantes não pré-selecionados foram automaticamente incluídos em lista de espera, observada classificação. Considerando que não existe novo ranqueamento, após a publicação do resultado da chamada única, os participantes da lista de espera deverão, obrigatoriamente, acompanhar sua eventual pré-seleção. Nesse caso, os candidatos deverão complementar sua inscrição no prazo de três dias úteis, contados do dia subsequente ao da divulgação de sua pré-seleção no sistema. O prazo final para a lista de espera é 31 de agosto. Em 2021, o Fies tem a oferta total de 93 mil vagas. Nesta seleção do segundo semestre, estão disponíveis 69 mil vagas distribuídas em 23.320 cursos de 1.324 instituições privadas de ensino superior. Caso hajam vagas remanescentes, não ocupadas na chamada única, o MEC poderá fazer nova seleção. Para ter acesso ao fundo, é necessário ter renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos e ter participado de uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a partir de 2010, obtendo no mínimo 450 pontos na média das cinco provas do exame e não ter zerado a prova de redação. O Fies é o programa do governo federal que tem o objetivo de facilitar o acesso ao crédito para financiamento de cursos de ensino superior oferecidos por instituições privadas aderentes ao programa. Criado em 1999, ele é ofertado em duas modalidades desde 2018, por meio do Fies e do Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies). O primeiro é operado pelo governo federal, sem incidência de juros, para estudantes que têm renda familiar de até três salários-mínimos por pessoa; o percentual máximo do valor do curso financiado é definido de acordo com a renda familiar e os encargos educacionais cobrados pelas instituições de ensino. Já o P-Fies tem regras específicas, sem seleção, e funciona com recursos dos fundos constitucionais e dos bancos privados participantes, o que implica cobrança de juros.

  • Butantan confirma mais 28 amostras da variante delta em São Paulo
    by Ludmilla Souza – Repórter da Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 12:15 pm

    Até ontem (3), 28 novas amostras da variante delta do novo coronavírus foram confirmadas na capital de São Paulo. O monitoramento ativo da prefeitura, em parceria com o Instituto Butantan, detectou até o momento 50 diagnósticos para a nova variante no município. Os casos estão em investigação pelas respectivas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da rede municipal.   O monitoramento das variantes na capital é realizado por meio de cálculo amostral, por semana epidemiológica. As amostras seguem para análise do laboratório do Instituto Butantan, onde é realizado o sequenciamento genético.   Além dessa ação de monitoramento, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) também realizou parceria com o Instituto de Medicina Tropical (IMT) da Universidade de São Paulo (USP) e possui a vigilância do laboratório estadual do Instituto Adolfo Lutz.  Semanalmente, cerca de 600 amostras são enviadas aos respectivos laboratórios. O objetivo do trabalho é identificar quais cepas circulam pela cidade. A ação com os laboratórios foi iniciada em abril de 2021.  Recomendações  O que se recomenda neste momento é que se mantenha o uso correto das máscaras (cobrindo o nariz e a boca), distanciamento social, higienização de mãos e, principalmente, evitar aglomerações.  Se a pessoa apresentar qualquer sintoma compatível com síndrome gripal é necessário procurar uma unidade de saúde e todos os casos suspeitos devem ser imediatamente notificados e investigados clínica e laboratorialmente.  A partir daí, é necessário ficar em isolamento por no mínimo 10 dias. Os contatos próximos devem fazer quarentena de 14 dias.  A SMS também reforça ao público elegível para tomar a vacina anticovid e não deixar de tomar a segunda dose para completar o ciclo vacinal.   Barreiras sanitárias  Desde 27 de maio, há cinco barreiras sanitárias instaladas no município. Elas estão no Aeroporto de Congonhas, nos terminais rodoviários do Tietê, Barra Funda e Jabaquara e no Terminal de Cargas da Vila Maria.  Até o dia 29 de julho, 328.440 pessoas foram abordadas, após desembarque de 14.615 ônibus e 1.158 voos. Ao todo, foram registrados 178 passageiros sintomáticos respiratórios. Também foram realizadas 562 ações educativas com 11.038 panfletos entregues. Até o dia 23 de julho, foram oito casos positivos verificados nessas barreiras.

  • Ingrid Oliveira é eliminada nos saltos ornamentais
    by Rafael Monteiro - Repórter da Rádio Nacional on agosto 4, 2021 at 12:02 pm

    A brasileira Ingrid Oliveira foi eliminada na madrugada desta quarta-feira (4) da classificatória de saltos ornamentais de plataforma 10 m na Olimpíada de Tóquio. Com 261.20 pontos, a niteroiense (RJ) encerrou sua participação na 24ª colocação. SALTOS ORNAMENTAIS Ingrid Oliveira terminou sua participação na plataforma de 10m dos @JogosOlimpicos de #Tokyo2020 na 24a colocação Valeu, Ingrid! 👏👏👏 📸Miriam Jeske/COB pic.twitter.com/SWlGLQjlkw — Time Brasil (@timebrasil) August 4, 2021 Classificavam-se para as semifinais somente as 18 melhores colocadas das 30 competidoras presentes no Centro Aquático de Tóquio, na capital Tóquio. Pandelela Pamg, da Malásia, garantiu a última vaga, tendo obtido 284.90 pontos. Após as três primeiras apresentações, Ingrid, de 25 anos estava bem ranqueada, na sétima posição. Entretanto, os dois últimos saltos não foram satisfatórios, descendo para a 14ª e 24ª posições, respectivamente. Ingrid Oliveira - Preliminares plataforma 10m - MARKO DJURICA Esta foi a segunda participação de Ingrid em Jogos Olímpicos. Na última edição, na Rio 2016, ela disputou a mesma prova (plataforma 10m) e ficou no 22º lugar e também não avançou à semifinal. No masculino, o Brasil conta com dois representantes. O piauiense Kawan Pereira, de 19 anos, e o carioca Isaac Souza, de 22 anos. Eles vão estrear em Tóquio 2020 nesta sexta-feira (6), às 3h (horário de Brasília).

  • Fernanda e Ana se despedem de Tóquio em 9º lugar na vela classe 470
    by Rafael Monteiro - Repórter da Rádio Nacional on agosto 4, 2021 at 11:44 am

    Em luta pela segunda medalha da vela brasileira na Olimpíada de Tóquio (Japão), Fernanda Oliveira e Ana Barbachan velejaram na madrugada desta quarta-feira (4) na Baía de Enoshima, na ilha da Enoshima. A dupla disputou a Medal Race, regata final e decisiva, na classe 470 e ficou na 10ª colocação. Com este resultado, elas terminaram em nono lugar geral. #Sailing ⛵Fernanda Oliveira e Ana Barbachan, da 470 feminina, terminam os #JogosOlímpicos #Tokyo2020 em 9º! 😢É o fim da parceria de mais de 10 anos! A partir de @Paris2024, a 470 passa a ser mista. Valeu demais, dupla! Sucesso na próxima jornada!💚💛 📸Wander Roberto/COB pic.twitter.com/g6I6hRiK7N — Time Brasil (@timebrasil) August 4, 2021 Na regata final, Fernanda e Ana precisavam de desempenho expressivo, entretanto passaram pela primeira marcação apenas como as oitavas colocadas. Em seguida, alternaram entre o sétimo e oitavo lugares. No fim da prova, elas encerraram a participação na décima posição, o que foi insuficiente para subir ao pódio. O Brasil encerrou a participação em Tóquio com uma medalha de ouro na vela. Kahena Kunze e Martine Grael conquistaram o bicampeonato olímpico na classe 49er FX na Baía de Enoshima. A dupla britânica Hannah Mils e Eilidh McIntyre conquistou o bicampeonato olímpico na classe. Já as polonesas Agnieszka Skrzypulec e Jolanta Ogar colocaram a prata no peito. Camille Lecointre e Aloise Retornaz, da França, levaram o bronze.

  • O que é o Comitê Olímpico Russo que disputa os Jogos de Tóquio?
    by Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 11:13 am

    Quem está acompanhando as competições das Olimpíadas de Tóquio já deve ter percebido que os atletas da Rússia não aparecem com a bandeira do país, que também não é exibida no quadro de medalhas. O hino russo também não é tocado. Em seu lugar ouvimos o Concerto para Piano nº 1, de Tchaikovsky. Mas, porque esse tratamento diferente dado aos russos nessa Olimpíada? Na verdade, quem compete nos Jogos Olímpicos não é exatamente a delegação russa e sim atletas ditos “neutros”. Esses 335 atletas fazem parte do Russian Olympic Committee, daí a sigla ROC dos uniformes. O Comitê Olímpico Russo foi a alternativa que os atletas conseguiram para participar dos jogos depois que a Rússia foi banida de competições internacionais devido a um grande escândalo de doping. Em 2019, a Agência Mundial Antidoping (Wada, em inglês), depois de investigar denúncias  de doping e alteração de resultados para encobrir os casos, concluiu pela condenação da Rússia com a suspensão de competições internacionais por quatro anos.  Após várias apelações, a Corte Arbitral do Esporte reduziu a pena para dois anos. Ou seja, até 2022 não haverá equipe oficialmente representando a Rússia em qualquer competição. Os atletas da ROC podem competir porque nunca foram acusados de doping, por isso estão nos Jogos de Tóquio. E continuam fazendo da Rússia, com ou sem bandeira e hino, uma potência. Em doze dias de competição o Comitê Olímpico Russo ocupa a quinta posição no quadro de medalhas e subiu ao pódio 52 vezes. Destas, 13 para ocupar a mais alta posição, ao som de Tchaikovsky.

  • MEC divulga lista de pré-selecionados para Fies do segundo semestre
    by Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil  on agosto 4, 2021 at 10:04 am

    O Ministério da Educação (MEC) divulgou no fim da noite dessa terça-feira (3) a relação dos candidatos pré-selecionados em chamada única ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) para o segundo semestre de 2021. O resultado está disponível na página do Fies. A seleção assegura apenas a expectativa de direito à vaga, já a contratação do financiamento está sujeita às demais regras e procedimentos de formalização do contrato. O prazo para complementação das informações da inscrição começa hoje (4) e vai até sexta-feira (6). Os estudantes não pré-selecionados foram automaticamente incluídos em lista de espera, observada classificação. Considerando que não existe novo ranqueamento, após a publicação do resultado da chamada única, os participantes da lista de espera deverão, obrigatoriamente, acompanhar sua eventual pré-seleção. Nesse caso, os candidatos deverão complementar sua inscrição no prazo de três dias úteis, contados do dia subsequente ao da divulgação de sua pré-seleção no sistema. O prazo final para a lista de espera é 31 de agosto. Em 2021, o Fies tem a oferta total de 93 mil vagas. Nesta seleção do segundo semestre, estão disponíveis 69 mil vagas distribuídas em 23.320 cursos de 1.324 instituições privadas de ensino superior. Caso hajam vagas remanescentes, não ocupadas na chamada única, o MEC poderá fazer nova seleção. Para ter acesso ao fundo, é necessário ter renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos e ter participado de uma das edições do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a partir de 2010, obtendo no mínimo 450 pontos na média das cinco provas do exame e não ter zerado a prova de redação. O Fies é o programa do governo federal que tem o objetivo de facilitar o acesso ao crédito para financiamento de cursos de ensino superior oferecidos por instituições privadas aderentes ao programa. Criado em 1999, ele é ofertado em duas modalidades desde 2018, por meio do Fies e do Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies). O primeiro é operado pelo governo federal, sem incidência de juros, para estudantes que têm renda familiar de até três salários mínimos por pessoa; o percentual máximo do valor do curso financiado é definido de acordo com a renda familiar e os encargos educacionais cobrados pelas instituições de ensino. Já o P-Fies tem regras específicas, sem seleção, e funciona com recursos dos fundos constitucionais e dos bancos privados participantes, o que implica cobrança de juros.

  • Covid-19: DF começa a agendar vacinação de adolescentes
    by Jonas Valente - Repórter da Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 9:30 am

    O agendamento de vacinação contra a covid-19 para adolescentes começa hoje (4) no Distrito Federal. Nessa primeira etapa, poderão fazer a marcação pessoas com idade de 12 a 17 anos que tenham síndrome de Down ou autismo. Também podem agendar adolescentes com deficiência. No caso de pessoas com síndrome de Down, não é preciso levar laudo médico. Já para adolescentes com autismo, será necessário apresentar laudo apenas se a pessoa não tiver feito algum atendimento na rede pública do DF nos últimos 12 meses. Quem tiver dificuldade de acesso à internet para fazer o cadastramento e agendamento pode procurar uma Unidade Básica de Saúde. A imunização desse grupo foi anunciada pelo governo do Distrito Federal na segunda-feira (2), em entrevista coletiva. Os representantes do GDF informaram que serão vacinados adolescentes com comorbidades e com autismo. Ainda não foram anunciadas as próximas fases da imunização dessa faixa etária. Trinta anos  Ontem começou a imunização das faixas etárias a partir de 30 anos. Foram disponibilizadas 170 mil doses, que estão sendo aplicadas em 79 pontos de vacinação, cuja localização é disponibilizada no site da Secretaria de Saúde.  Também estão disponíveis vacinas da “repescagem” para professores. O GDF tem disponibilizado doses para a categoria em razão do retorno das aulas presenciais, a partir dessa segunda-feira, no caso da rede pública.

  • Trabalhadores nascidos em março podem sacar auxílio emergencial
    by Wellton Máximo* - Repórter da Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 8:53 am

    Trabalhadores informais e inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) nascidos em março podem sacar, a partir de hoje (4), a quarta parcela do auxílio emergencial 2021. O dinheiro foi depositado nas contas poupança digitais da Caixa Econômica Federal em 20 de julho. Os recursos também podem ser transferidos para uma conta-corrente, sem custos para o usuário. Até agora, o dinheiro apenas podia ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de contas domésticas (água, luz, telefone e gás), de boletos, compras em lojas virtuais ou compras com o código QR (versão avançada do código de barras) em maquininhas de estabelecimentos parceiros. Em caso de dúvidas, a central telefônica 111 da Caixa funciona de segunda a domingo, das 7h às 22h. Além disso, o beneficiário pode consultar o site auxilio.caixa.gov.br. O saque originalmente estava previsto para ocorrer em 19 de agosto, mas foi antecipado em duas semanas por decisão da Caixa. Segundo o banco, a adaptação dos sistemas tecnológicos e dos beneficiários ao sistema de pagamento do auxílio emergencial permitiu o adiantamento do calendário. O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada. Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante sete meses, prevê parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150. Calendário com as datas dos saques da quarta parcela do auxílio emergencial. - Divulgação/ Caixa Regras Pelas regras estabelecidas, o auxílio é pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não há nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso, seja a parcela paga no programa social, seja a do auxílio emergencial. O programa se encerraria com a quarta parcela, depositada em julho e sacada em agosto, mas foi prorrogado até outubro, com os mesmos valores para o benefício. A Agência Brasil elaborou um guia de perguntas e respostas sobre o auxílio emergencial. Entre as dúvidas que o beneficiário pode tirar estão os critérios para receber o benefício, a regularização do CPF e os critérios de desempate dentro da mesma família para ter acesso ao auxílio.* Colaborou Andreia Verdélio

  • Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio acumulado em R$ 46 milhões
    by Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 8:31 am

    A Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira (4) um prêmio acumulado em R$ 46 milhões. As seis dezenas do concurso 2.396 serão sorteadas a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário do Tietê, na cidade de São Paulo.  As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), nas lojas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet. Caso apenas um apostador leve o prêmio da faixa principal e aplique todo o valor na poupança receberá R$ 112,5 mil de rendimento no primeiro mês. A aposta simples, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50. Loteca O prêmio do concurso 949 da Loteca, modalidade para palpites de resultados de futebol, está acumulado e pode pagar R$ 1,6 milhão para quem acertar os 14 pontos. As apostas podem ser feitas até as 14h deste sábado (7). Para apostar, verifique a programação com as 14 partidas selecionadas das Séries A, B e C destes sábado e domingo (8) e registre seu palpite. As apostas podem ser nas casas lotéricas ou no portal Loterias Caixa. A aposta simples custa R$ 3 e dá direito a marcar um palpite a mais em uma das 14 partidas; assim, o apostador aumenta suas chances de acerto ao marcar dois times como vencedor, ou um time vencedor e o empate. Quanto mais duplos e triplos (cobrindo os três resultados possíveis em uma partida) marcar, maiores são as chances de ganhar e, consequentemente, maior será o preço da aposta.

  • Brasil fica fora do pódio no skate park da Olimpíada
    by Agência Brasil on agosto 4, 2021 at 5:09 am

    O Brasil chegou à final feminina do skate park da Olimpíada de Tóquio (Japão), mas Dora Varella e Yndiara Asp ficaram fora do pódio, na madrugada desta quarta-feira (4) no Parque de Esportes Urbanos de Ariake. Não deu pras brasileiras @DoraVarella e @yndiaraasp na final do 🛹 park nos #JogosOlimpicos #Tokyo2020 . Elas ficaram nos 7º e 8º lugares, respectivamente. Representaram, meninas! #skateboarding na veia! 💚💛💙🤍 📸Miriam Jeske/COB pic.twitter.com/cQQ84Eu3h7 — Time Brasil (@timebrasil) August 4, 2021 Entre as oito participantes da grande decisão, Dora Varella ficou na 7ª posição, com 40,42 pontos que alcançou em sua primeira volta. Já Yndiara Asp terminou na última posição, com 37,34 pontos. O ouro ficou com uma atleta do Japão, Sakura Yosozumi, com 60,09 pontos. A prata ficou com outra atleta local, Kokona Hiraki, de apenas 12 anos e que conseguiu 59,04. Já a terceira posição ficou com a sensação britânica Sky Brown, de 13 anos, com 56,47 pontos. Inaugural Olympic Skateboarding park podium at #Tokyo2020: Yosozumi Sakura #JPN 19 y.o. Hiraki Kokona #JPN 12 y.o. Sky Brown #GBR 13 y.o. pic.twitter.com/7RweBvJeNh — Olympics (@Olympics) August 4, 2021