Focos de incêndio caem 75% em Unidades de Conservação

peixe-post-madeirao

Focos de incêndio caem 75% em Unidades de Conservação

peixe-post-madeirao
Pagar por serviço ambiental para conservar a Amazônia será eficaz se invasões de terra acabarem, dizem especialistas

Os 11 milhões de hectares protegidos por 16 Unidades de Conservação da Amazônia registraram apenas um foco de incêndio no mês de junho, uma queda de 75% em relação ao mesmo mês de 2020. 

Em contrapartida, nas áreas não protegidas pelas Unidades, houve 2.308 focos, um aumento de 2,6% em relação a junho do ano passado. 

Nas 16 Unidades de Conservação, vivem cerca de 40 mil pessoas que se sustentam de suas próprias produções de açaí, castanha, e outros produtos fornecidos pela natureza, como peixes.

Levantamento

No primeiro semestre deste ano, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Rio Negro, uma das Unidades avaliadas pelo levantamento em questão, pescou cerca de 150 toneladas de peixe. A pesca rendeu cerca de R$ 800 mil para cem famílias.