Indústria: Confecções de Cacoal e Pimenta abastecem diversos Estados

peixe-post-madeirao

Indústria: Confecções de Cacoal e Pimenta abastecem diversos Estados

peixe-post-madeirao
industria textil

“Os rondonienses precisam vestir o que é confeccionado em Rondônia”. É com essas palavras que o vice-governador Daniel Pereira chama a atenção dos consumidores locais para as marcas de vestuário genuinamente rondonienses. Com o crescimento das indústrias de confecções de Pimenta Bueno e Cacoal, Rondônia se tornou um dos principais polos de confecções do país, atendendo, principalmente, as regiões Norte e Centro-Oeste.

Um grande exemplo do potencial de Rondônia é que a Brisa, maior Indústria de moda Íntima da Região Norte, é de Pimenta Bueno.  A indústria, proprietária das marcas Carona, Dióron, ATC e Gêmeos, produz mensalmente mais de 60 mil peças, tanto de moda íntima feminina, masculina, adulto e infantil. De acordo com o empresário Jair de Souza Cruz, proprietário da Brisa, a expectativa é de que não demora muito para que a indústria volte à produção mensal de 110 mil peças. Ou seja, em um ano, a produção de uma única indústria rondoniense pode chegar a mais de um milhão e trezentas mil peças confeccionadas.

Mais modernas

Para dar conta do recado, investimentos precisaram ser feitos e um exemplo é a cortadora de tecidos importada pela Brisa, dos Estados Unidos. Na oportunidade, o vice-governador Daniel Pereira e o superintendente estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura, Basílio Leandro de Oliveira, puderam ver a máquina em ação. Trata-se de umas das mais modernas cortadoras de tecido, permitindo o corte, em grandes camadas e de diversos tipos de materiais, de forma automatizada e precisa, otimizando o tempo e alavancando a capacidade de produção.

O investimento de aproximadamente 350 mil dólares beneficiou também as demais industrias de confecções de Pimenta Bueno, que contam com a prestação de serviços oferecida pela conterrânea.

“O pessoal acha que é um disputando com o outro, mas aqui somos todos unidos, em prol do fomento do nosso setor. Pimenta Bueno e Cacoal são hoje os maiores polos de confecção da nossa região e o que permite que sejamos conhecidos por isso é justamente essa união e respeito”, destacou o presidente da Federação das Associações Comerciais e Industriais de Rondônia, Gerson Szezerbatz Zanata, que é proprietário da empresa Fly Bermudas que tem lançada no mercado as marcas Fly Sport Wear e Jannine Collection – Linha Social. A produção da Fly chega à oito mil peças por mês. A indústria é a responsável pela confecção de 1.500 uniformes, da linha social, para o Sicoob Credip.

Nós competimos

“Rondônia é uma referência na confecção de roupas e muitos rondonienses não fazem nem ideia. No Brasil, nós competimos, em qualidade e preço, com marcas e produtos nacionalmente conhecidos. A única coisa que não produzimos aqui ainda é roupas em jeans, no resto temos de tudo”, ressaltou Gerson.

Indústria têxtil é responsável por geração de empregos

Ao todo, Pimenta Bueno conta com 15 indústrias de confecções, gerando mais de 500 empregos. Além dos empregos diretos nas indústrias, há a contratação de costureiras faccionistas. De acordo com o empresário e presidente da Facer, “muitas costureiras optam por trabalhar em casa, talvez por ter filho pequeno e também por comodidade. Então elas produzem em casa e repassam para a indústria”, explicou.

Entre as industrias que ajudam a fomentar a região central do estado estão também a Mania Mulher, de propriedade de Rubens Domingos da Cruz, e a Degrife, que tem como proprietário Valteir Domingos. Juntos, os irmãos colocam no mercado mais de 20 mil peças de roupas, através das marcas Abusada e Beth Moreno.

Após visitar algumas indústrias de moda íntima, bermudas, uniformes e moda feminina em Pimenta Bueno, o vice-governador seguiu para Cacoal para a assinatura de um termo de compromisso para a instalação de uma indústria de cosméticos, através de uma parceria entre empresários sul-coreanos e locais. Antes do evento, Daniel Pereira teve a oportunidade de visitar também uma indústria cacoalense especializada em camisaria masculina. Com representantes em oito estados brasileiros, a Zared tem ganhado espaço no segmento e contribuído na diversidade das confecções rondonienses.

O vice-governador reforçou o seu discurso e com a aquisição mais um produto rondoniense enfatizou: “precisamos vestir o que é de Rondônia”. Depois da serie de visitas às indústrias de Cacoal e Pimenta Bueno, Daniel Pereira voltou para a capital do estado com as malas cheias.