Vídeo ‘Leave Britney Alone’, feito por fã de Britney Spears, é vendido como obra NFT por R$ 253 mil

peixe-post-madeirao

Vídeo ‘Leave Britney Alone’, feito por fã de Britney Spears, é vendido como obra NFT por R$ 253 mil

peixe-post-madeirao
Vídeo 'Leave Britney Alone', feito por fã de Britney Spears, é vendido como obra NFT por R$ 253 mil


Chris Crocker defendeu Britney após críticas da performance no VMA de 2007 em vídeo que viralizou. Tecnologia criou novo mercado milionário de arte com objetos que não são palpáveis. Vídeo ‘Leave Britney Alone’, feito por fã da cantora, é vendido como obra NFT
Reprodução/YouTube
O vídeo “Leave Britney Alone” foi vendido por cerca de US$ 44,4 mil, o equivalente a cerca de R$ 253 mil, como uma obra NFT ( “non fungible token” em inglês, ou token não fungível).
Quem fez o vídeo foi Chris Crocker, um fã de Britney Spears, em 2007. Ele inicialmente postou no MySpace, mas, depois, o conteúdo foi replicado por outras pessoas no YouTube.
“Eu sei que é difícil imaginar Britney como um ser humano, mas, acredite em mim, ela é uma pessoa como eu e você”, diz Crocker no começo do vídeo em que defende a cantora após críticas de uma performance em 2007.
NFT é uma espécie de selo de autenticidade digital e criou um novo mercado milionário de arte.
O primeiro post no Twitter, por exemplo, foi vendido por US$ 2,9 milhões. Já uma obra digital do artista Beeple foi vendida por quase US$ 70 milhões em março.
NFT: como funciona o registro de coleções digitais que já valem milhões de dólares
O vídeo estava à venda em um leilão de obras digitais desde sexta (9) e tinha como preço inicial de US$ 23,7 mil. A identidade do comprador não foi revelada.
Antes do ‘Free Britney’
Performance de Britney Spears no VMA de 2007
Reprodução/YouTube
Crocker defendia Britney após a cantora ser criticada pela performance no VMA, Video Music Awards, de 2007.
“Eu fiz este vídeo como um adolescente que abandona o ensino médio no quarto do meu avô”, disse Crocker em entrevista à revista Rolling Stone.
“Não tinha ideia do impacto que sua mensagem teria, anos depois, talvez a sociedade finalmente esteja começando a entendê-la.”
Ele refere ao movimento “Free Britney” que existe desde 2008, mas que ganhou destaque especial com o lançamento do documentário “Framing Britney Spears: A Vida de uma Estrela”, do jornal “The New York Times”.
Há 13 anos o pai, Jamie Spears, é tutor o da cantora. Ele é responsável legal por assuntos pessoais e financeiros da princesa do pop.
Advogados de Britney já fizeram tentativas para tirar o pai da tutela , mas não foram bem sucedidas. A cantora quer que Jodi Montgomery, que em 2019 foi nomeada tutora temporária dos assuntos pessoais de Britney, seja declarada como tutora permanente.
O movimento #FreeBritney surgiu a partir da preocupação de fãs de Britney Spears com o bem-estar da cantora.
O principal ponto é a tutela legal que, segundo eles, deixou Britney “presa” desde 2008. O movimento, segundo site oficial, busca “acabar com a tutela e aumentar a conscientização sobre o abuso da tutela”.
Documentário sobre Britney reacende movimento de fãs para ‘libertar’ cantora de tutela