Conheça a história do prédio abandonado há 46 anos, que deveria ser hotel luxuoso em Manaus

peixe-post-madeirao

Conheça a história do prédio abandonado há 46 anos, que deveria ser hotel luxuoso em Manaus

peixe-post-madeirao
predio-hotel-manaus

Quem passa pela rua Salvador, no bairro Adrianópolis, em Manaus, se depara com um prédio abandonado de três andares, que tem carros e lanchas antigas estacionados. O que pouca gente sabe é que a estrutura, abandonada há cerca de 46 anos, deveria dar lugar a um hotel luxuoso.

X ou H?

O formato curioso da construção, como se fosse um ‘X’, chamou atenção e repercutiu recentemente nas redes sociais. Segundo o atual proprietário, David Tadros, contou a história do prédio e como está a situação atualmente.

David Tadros lembra que o terreno foi comprado pelo avô dele, nos anos 60. O intuito era construir um hotel cinco estrelas para funcionar no local, que seria batizado de “Hotel Ouro Verde”.

Após a compra do terreno, os projetos foram feitos e as construções iniciaram nos anos que se seguiram.

Em 1974, o avô de David Tadros teve câncer e precisou se mudar para os Estados Unidos, para fazer tratamento. Ele faleceu no ano seguinte e, a partir daí, as obras do prédio foram abandonadas, pois os quatro filhos ficaram indecisos com o que fariam com a estrutura.

“Nos anos 80, a obra ficou parada. Nos anos 90, queriam fazer um centro comercial, mas não deu certo. No início dos anos 2000, iam fazer salas comerciais para alugar para o Fórum que é ali perto, mas não concluiu a obra. Aquelas coisas velhas, aqueles barcos, aqueles carros velhos que tem lá são de amigos que deixaram lá e nunca mais foram recuperar”, contou Tadros.

Quanto ao formato inusitado, Tadros esclarece que estrutura representa a letra “H”. “Aquele formato não é um ‘X’. É um ‘H’. Antigamente, o ‘H’ era daquela forma. Então, aquilo ali quer dizer um ‘H’, o símbolo do hotel”, explicou o proprietário do prédio.

Planos futuras para o imóvel

Atualmente, o terreno foi alugado para funcionar como estacionamento de uma empresa de segurança que fica ao lado do prédio. David Tadros disse que, mesmo após décadas do início da construção, pretende terminar as obras do prédio junto com um irmão.

 

Foto: Renê Silva/Rede Amazônica

“Eu pretendo, com o meu irmão, já que meus dois tios já faleceram, só tem o meu pai e mais outro, pretendemos terminar essa obra. Não pretendemos vender. Já recebemos várias propostas de construtoras, por ser uma área nobre e é muito feio aquele negócio abandonado ali no coração de Adrianópolis”, disse.

Tadros contou que ainda não sabe se a estrutura atual será aproveitada ou demolida para iniciarem uma nova construção, devido as condições do prédio que esteve sem ser utilizado ao longo dos anos.

Apesar do intuito inicial do avô de abrir um hotel, David Tadros explicou que eles devem seguir para outra área, já que, segundo ele, o setor de hotelaria na região não está mais em alta como na ocasião quando as obras tiveram início.

“Nós estamos pensando em fazer salas comerciais para alugar para, uma parte venda, e outra para alugar para escritórios, salas para advogados, como é perto do Fórum, essas coisas todas”, finalizou David Tadros.

Fonte: EBC