20 de abril de 2024

Fluminense Conquista Libertadores com Vitória Sobre Boca Juniors

peixe-post-madeirao-48x48

Fluminense Conquista Libertadores com Vitória Sobre Boca Juniors

peixe-post-madeirao

John Kennedy marca na prorrogação e garante a taça para o Tricolor

Pela primeira vez na história, o Fluminense ergue a cobiçada taça da Copa Libertadores da América. Neste sábado (4), o estádio do Maracanã foi palco de uma memorável vitória do Tricolor sobre o Boca Juniors da Argentina, com o placar de 2 a 1. O gol que selou a conquista continental veio dos pés de John Kennedy, no primeiro tempo da prorrogação, após um empate por 1 a 1 no tempo regulamentar.

Longa Espera

Quinze anos se passaram desde que o Fluminense teve a chance de disputar a final da Libertadores. Em 2008, o time carioca amargou uma derrota nos pênaltis para a LDU do Equador. Contudo, o script no Maracanã desta vez foi diferente, e além da gloriosa taça, que representou uma premiação de quase R$ 95 milhões, o Fluminense garantiu sua presença na Libertadores do ano seguinte, no Mundial de Clubes deste ano e no Super Mundial de Clubes da Fifa em 2025. Com esta conquista, o Brasil acumula cinco títulos consecutivos na Libertadores, sendo os anteriores do Flamengo (2019 e 2022) e Palmeiras (2020 e 2021).

Batalha em Campo

A partida começou com o Fluminense mostrando superioridade, trocando mais passes e finalizando cinco vezes ao gol argentino no primeiro tempo. A primeira grande chance veio com uma cabeçada de Germán Cano, após cobrança de falta de Marcelo, mas que foi defendida pelo goleiro Romero. O gol tricolor veio em uma bela tabela entre Cano e Arias, com o artilheiro argentino marcando seu 13º gol na competição.

O segundo tempo viu o Boca Juniors reagir e dominar as ações. Advíncula, lateral-direito do Boca, igualou o placar com um chute certeiro, sem chances para o goleiro Fábio. Apesar de algumas chances claras de ambos os lados, o placar se manteve igual, levando a decisão para a prorrogação.

Momento de Glória

A prorrogação se tornou o palco para John Kennedy brilhar. Entrando nos minutos finais do tempo regulamentar, o jogador foi decisivo ao marcar o gol do título, após um cruzamento de Keno. Porém, a celebração custou-lhe um cartão vermelho. As emoções ficaram à flor da pele, e Fabra, do Boca, também foi expulso após um desentendimento com Nino. O segundo tempo da prorrogação viu os argentinos pressionando, mas a defesa tricolor, com destaque para o goleiro Fábio, segurou o resultado até o apito final, garantindo o inédito título da Libertadores para o Fluminense.