//

Exposição do Museu do Ipiranga mostra evolução do mobiliário do Brasil

peixe-post-madeirao-48x48

Exposição do Museu do Ipiranga mostra evolução do mobiliário do Brasil

peixe-post-madeirao

Exposição no Museu do Ipiranga mostra a evolução dos móveis no Brasil

O Museu do Ipiranga, em São Paulo, abriu nesta terça-feira (11) uma nova exposição temporária chamada “Sentar, Guardar e Dormir: Museu da Casa Brasileira e Museu Paulista em diálogo”. A mostra reúne móveis históricos, incluindo um guarda-roupa que pertenceu a Santos Dumont e uma cama usada pela Marquesa de Santos.

Objetos históricos em destaque

A exposição apresenta uma variedade de móveis que revelam a evolução do morar no Brasil, refletindo a diversidade cultural e social do país. São 164 peças, entre cadeiras, camas e guarda-roupas, algumas com mais de 400 anos. “Essa exposição foi organizada pensando-se nas ações humanas, na vivência e nas práticas cotidianas da população em seus ambientes domésticos”, explicou Maria Aparecida de Menezes Borrego, uma das curadoras.

Sentar, Guardar e Dormir

A exposição está dividida em três núcleos: Sentar, Guardar e Dormir. O primeiro núcleo, Sentar, exibe móveis como cadeiras e sofás, mostrando como esses objetos passaram a ser mais comuns nas casas brasileiras a partir do século XIX. A curadora destaca que antes desse período, as casas eram pouco mobiliadas, refletindo um estilo de vida onde o convívio social ocorria principalmente fora de casa.

O segundo núcleo, Guardar, explora móveis usados para armazenar itens pessoais, como caixas e guarda-roupas.

“A partir do momento que as caixas ganham pés, já vemos que são destinadas a interiores domésticos de populações mais sedimentadas”, explicou Borrego.

O último núcleo, Dormir, mostra diferentes formas de descansar ao longo dos séculos, desde redes de origem indígena até camas industrializadas do século XX. A exposição destaca como a chegada de camas feitas em série, como a cama patente, mudou os hábitos de dormir das camadas médias e populares.

Diálogo entre museus

Os objetos selecionados estabelecem um diálogo entre os acervos do Museu da Casa Brasileira e do Museu Paulista. O Museu Paulista, fundado em 1895, possui muitos móveis doados pela elite paulista do início do século XX, enquanto o Museu da Casa Brasileira, criado em 1975, tem um acervo focado em móveis do século XX, voltados para as camadas médias e populares.

Importância das doações

Grande parte do acervo da exposição foi doada pela sociedade, mostrando a expectativa de preservação das histórias e tradições familiares. Borrego enfatiza que, embora faltem móveis ligados a diversos segmentos sociais, a mão de obra negra esteve presente na confecção desses móveis, mesmo que não registrada.

A exposição, que é gratuita e acessível, com objetos táteis e recursos multissensoriais, ficará em cartaz até 29 de setembro. Mais informações estão disponíveis no site do Museu do Ipiranga.