Mais de 140 apenados são aprovados no ENEM em Rondônia

peixe-post-madeirao

Mais de 140 apenados são aprovados no ENEM em Rondônia

peixe-post-madeirao
apenados enem

O governo de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), tem dado atenção especial a ressocialização, fornecendo incentivos para isto. Nos dias 23 e 24 de fevereiro de 2021, os reeducandos participaram da 10ª edição do Enem para Pessoas Privadas de Liberdade (PPL), correspondente ao ano de 2020.

Em Rondônia, o Enem PPL foi aplicado em 30 unidades prisionais, obtendo uma média de 700 inscritos. No total, 145 foram aprovados, contabilizando 83 no interior e 62 em penitenciárias da capital. A pontuação mais alta entre os detentos foi de um recluso do Presidio Aruana, em Porto Velho, que obteve 660 pontos na redação e 647.4 na nota geral.

O gerente de reinserção social da Sejus, Fábio Recalde, diz que além de testar o conhecimento dos internos, a prova cria a possibilidades de ingresso dos apenados em universidades. “O ensino superior dentro das penitenciárias ainda não é uma realidade nacional, mas o Estado de Rondônia através da Sejus não está medindo esforços para alcançar este objetivo. O fomento à educação básica e ao ensino superior está inserido dentro do plano estratégico do Governo”, afirma.

O Enem PPL avalia o desempenho do recluso e a partir de critérios utilizados pelo Ministério da Educação (MEC), permite o acesso ao ensino superior por meio de programas como Sisu, Prouni e Fies. Além disso, contribui para elevar a escolaridade da população prisional brasileira.

“Todos os aprovados que têm interesse em concorrer a uma vaga são inscritos. Este ano o foco será na Universidade Federal de Rondônia (Unir) e no Sisu. É o que faremos agora com estes 145 aprovados”, garante o gerente de reinserção.

Em 2019, 11 apenados conseguiram bolsas de estudos em universidades de ensino superior de Porto Velho. “Um deles já é mestre, e começou os estudos dentro da unidade fazendo o Enem PPL. Este ano, a Sejus planeja implantar um aulão específico para esta ‘prova’, finalizou Fábio.