Polo Industrial de Manaus recupera perdas da pandemia e volta a crescer

peixe-post-madeirao

Polo Industrial de Manaus recupera perdas da pandemia e volta a crescer

peixe-post-madeirao
pim-polo-industrial-de-manaus

Para o superintendente da Suframa, Algacir Polsin, os Indicadores do PIM nos nove primeiros meses de 2021 são altamente animadores.

Relatório da Suframa divulgado no final de dezembro informa que o Polo Industrial de Manaus (PIM) faturou, de janeiro a setembro de 2021, R$ 116,59 bilhões, o equivalente a um crescimento de 42,27% em relação ao mesmo período do ano passado (R$ 81,95 bilhões). Com isso, aponta o documento, a estimativa de faturamento até dezembro se mantém entre R$ 140 e 145 bilhões, impulsionado pelo crescimento do segmento de bens de informática, responsável por 27,37% do faturamento total do PIM.

As exportações também fecharam o balanço dos nove primeiros meses do ano em alta. Até setembro, as exportações do PIM, também impulsionadas pela variação cambial, alcançaram US$ 331.92 milhões, um crescimento de 25,08% na comparação com o mesmo período de 2020 (US$ 265.37 milhões).

De acordo com a Suframa, diversos segmentos do PIM seguem apresentando desempenho bastante positivo, liderados por subsetores representativos como o de Bens de Informática do Polo Eletroeletrônico, que faturou R$ 31,88 bilhões e índice de crescimento de 48,69% no período de janeiro a setembro; o Eletroeletrônico, faturamento de R$ 25,38 bilhões, cresceu 22,77%; Duas Rodas, R$ 14,84 bilhões de faturamento, crescimento de 44,34%; Termoplástico – R$ 10,18 bilhões de faturamento, cresceu 76,26%; Metalúrgico, faturamento de R$ 9,95 bilhões e crescimento de 46,87%; Químico – faturamento de R$ 9,43 bilhões e crescimento de 36,48%; Mecânico, com faturamento de R$ 8,13 bilhões, cresceu 69,48%.

Dentre os produtos com nível mais elevado de produção, no período, destacam-se: Home theaters (83.942 unidades e crescimento de 154,95%); Tablets (1.437.576 unidades e crescimento de 148,85%); DVD recorder player, inclusive, blu ray (318.734 unidades e crescimento de 132,50%); e Microcomputadores portáteis (761.786 unidades e crescimento de 84,39%). Merecem destaque também Motocicletas, motonetas e ciclomotores (913.943 unidades e crescimento de 31,36%); Condicionadores de ar tipo split system (4.694.487 unidades e crescimento de 47,63%); Relógios de pulso e de bolso (5.572.447 unidades e crescimento de 65,38%).

No que tange à mão-de-obra, em setembro de 2021 o PIM somou 102.555 postos de trabalho ocupados, entre efetivos, temporários e terceirizados, o que indica aumento de 4,57% em relação a setembro do ano passado (98.073 trabalhadores). Com os resultados apurados no período, a média mensal de empregos diretos do PIM em 2021 chegou a 102.794 trabalhadores – alta de 11,70% em relação à média mensal de igual período de 2020 (92.023 trabalhadores).

Para o superintendente da Suframa, Algacir Polsin, os Indicadores do PIM nos nove primeiros meses de 2021, especialmente no que diz respeito ao volume de vendas expresso em faturamento global e à manutenção dos empregos diretos acima de 100 mil postos nos últimos meses, são altamente animadores. “Estamos em um momento muito positivo para a indústria da Zona Franca de Manaus, pois, além dos resultados positivos do PIM, também estamos observando um crescimento nos projetos de investimentos aprovados pelo Conselho de Administração da Suframa (CAS) – 146 aprovados em 2020 e 156 no último exercício. São fatores que nos permitem alimentar otimismo para a sequência do trabalho e para o reforço das ações de geração de emprego e renda na nossa área de atuação”, concluiu Polsin.

De acordo com relatório da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti), o Amazonas prorrogou o prazo final da vigência dos Laudos Técnicos de Inspeção (LTI) até 30 de junho de 2022, conforme Decreto n° 45.010/2021, e Portaria n° 113/2021, da Sedecti, de 23 de dezembro, ambos publicados no Diário Oficial do Estado. A medida, segundo o secretário Jório Veiga, visa manter o incremento da produção industrial, elevar de imediato os níveis de arrecadação e do emprego e simplificar o trânsito burocrático dos projetos beneficiados pela lei estadual de incentivos fiscais.

Fonte: Portal Amazônia
*O conteúdo é de responsabilidade do colunista