//

Combate ao fogo no Parque de Itatiaia continua, sem previsão de fim

peixe-post-madeirao-48x48

Combate ao fogo no Parque de Itatiaia continua, sem previsão de fim

peixe-post-madeirao

Fogo já destruiu cerca de 150 hectares; difícil acesso complica combate

O Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro continua lutando contra o incêndio florestal no Parque Nacional de Itatiaia (PNI), iniciado na tarde de sexta-feira (14). Desde então, mais de 100 bombeiros de 18 quartéis, com o apoio de até duas aeronaves, estão no local. O PNI, criado em 1937, é o primeiro parque nacional do Brasil.

Desafios no Combate

O porta-voz dos bombeiros, major Fábio Contreiras, afirmou que ainda não há previsão para o fim do combate devido ao difícil acesso às áreas mais altas, que chegam a 2.500 metros de altitude. “O acesso é ruim, são locais íngremes. É um desafio o bombeiro estar ali fisicamente, porque a declividade é muito alta, então não é possível o combate terrestre. Nesses locais, duas aeronaves fazem simultaneamente o combate ao incêndio jogando água”, disse Contreiras à Agência Brasil.

Apoio e Recursos

Além dos bombeiros, 25 guardas do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e cerca de 50 militares do Exército estão auxiliando no combate manual com abafadores. Parte dos bombeiros está operando as aeronaves, enquanto outros atuam nas proximidades da estrada, onde o fogo também se espalhou.

“Temos essas três frentes. A das aeronaves, dos militares que estão entrando com os abafadores e das viaturas, que fazem esse combate nas estradas mais próximas aos pontos que não são muito remotos”, explicou Contreiras.

Área Atingida

Estimativas iniciais indicam que cerca de 150 hectares foram atingidos, mas essa área pode aumentar devido à vegetação seca e aos ventos fortes. “Além das aeronaves, estamos mapeando com drones, que mostram a área e conseguimos ter a noção dela. No momento 150, com a tendência de aumentar”, afirmou o major.

A vegetação rasteira e a falta de chuvas facilitam a propagação rápida do fogo. O major destacou que muitos bombeiros envolvidos são especialistas em incêndios florestais, comuns na região nesta época do ano.

Causas Prováveis

Embora a causa exata do incêndio ainda não seja conhecida, acredita-se que 99% dos incêndios são provocados por atividades humanas, como fogueiras, lixo, guimbas de cigarro, balões e fogos de artifício. “O local onde começou o incêndio, no Morro do Couto, é remoto. Não é frequentado por pessoas, então acreditamos que a causa pode ter sido um balão ou exploradores, pessoas que fazem trilhas e descartam material e não respeitam as normas do parque. Infelizmente, tudo isso pode contribuir”, explicou o major.

Impacto na Visitação

A visitação à parte alta do Parque Nacional de Itatiaia está suspensa até esta segunda-feira (17), e as atividades da abertura da Temporada de Montanha (ATM), previstas para o fim de semana, foram canceladas. “O bem-estar de todos e a conservação são prioridades nas atividades do PNI, por isso não há condições para a realização do evento. Todos os esforços da equipe do PNI e de parceiros estão concentrados no controle e na mitigação dos efeitos do incêndio”, informou a concessionária Paquetur, responsável pelo uso público do parque.

Sobre o Parque

O Parque Nacional de Itatiaia está localizado na Serra da Mantiqueira, abrangendo os municípios de Itatiaia e Resende, no estado do Rio, e Bocaina de Minas e Itamonte, em Minas Gerais. O relevo é caracterizado por montanhas e elevações rochosas, com altitudes entre 600m e 2.791m, sendo o Pico das Agulhas Negras o ponto mais alto.

A Paquetur informou que, por orientação do ICMBio, a suspensão da visitação à parte alta foi estendida até quarta-feira (19) para garantir a segurança dos visitantes. “A medida visa garantir a segurança e o bem-estar ao público, que a partir de quinta-feira poderá acessar e aproveitar todas os atrativos do parque, sem restrições”, afirmou a concessionária.

Situação Atual

Apesar das ações de combate ao fogo, a situação ainda é crítica e os bombeiros continuam trabalhando para controlar o incêndio.