Empresas estão preocupadas com bem-estar dos funcionários durante pandemia

peixe-post-madeirao

Empresas estão preocupadas com bem-estar dos funcionários durante pandemia

peixe-post-madeirao
Uso de máscara para proteção contra o novo coronavírus.

Levantamento realizado pela Rede Brasil do Pacto Global, em parceria com a Edelman, revelou que 87% das empresas estão preocupadas com o bem-estar físico de seus colaboradores durante a pandemia. A pesquisa contou com a participação de 86 empresas, sendo 84% participantes da inciativa. No entanto, a migração para o Home Office as encorajou a utilizar a tecnologia como aliada nos programas para fomento da saúde de seus colaboradores, mesmo à distância.

O Grupo Energisa, signatário do Pacto Global, oferece aos seus colaboradores plataforma online corporativa que engloba exercícios físicos, sessões de meditação e planejamento nutricional. “Mesmo em apartamentos com espaços reduzidos, é possível se manter ativo e continuar em isolamento social. A adesão ao programa está crescente, contando inclusive com a participação dos dependentes. Continuamente estimulamos nossos colaboradores a se exercitarem não apenas pela saúde física, mas sobretudo para a mental que pode ser impactada nesse período de pandemia”, afirma Silvana dos Santos, consultora de RH business partner da Energisa.

A implantação permanente do smart work de forma pioneira no setor elétrico brasileiro, em dezembro de 2020, levou o Grupo Energisa a estruturar planos específicos para o colaborador que está em casa. “Reservamos nas agendas pausas durante a semana para ginástica laboral. Nos vídeos, o instrutor orienta exercícios a serem feitos em até 10 minutos e sem a necessidade de aparelhos de ginástica. Além de assistir as aulas, na plataforma o colaborador interage com o restante da equipe comentando e curtindo a publicação. E isso é importante para que o colaborador se sinta integrado ao grupo”, completou a consultora. A empresa realizou pesquisa interna em que 72% dos colaboradores sinalizaram o desejo de continuar o trabalho remoto mesmo após a pandemia, destacando vantagens como a redução do tempo de deslocamento e a melhoria do convívio familiar. Já 80% manifestaram também desejo pelo modelo híbrido, com alternância entre trabalho presencial e remoto.

Dar acessibilidade a serviços médicos também foi prioridade da Energisa nesse período de pandemia. O serviço de telemedicina está disponível 24 horas por dia para os cerca de 20 mil colaboradores, e seus dependentes, que residem em 862 municípios de todas as regiões do Brasil. Por videoconferência, paciente e médico interagem sem a necessidade de deslocamento e com a mesma qualidade do encontro presencial.  O médico prescreve medicamento e exames médicos através do software. “A telemedicina desafoga os atendimentos nos hospitais, medida tão necessária nesse momento em que as redes pública e privada se encontram sobrecarregadas”, disse Silvana. De acordo com a Conexa Saúde, maior plataforma de telemedicina da América Latina, mais de 90% das pessoas que vão ao Pronto Socorro não precisariam ir, pois o local visa atendimentos para pessoas em situação de alto risco (como derrames, enfartos ou fraturas).

Ter essa facilidade tranquilizou a analista administrativa da concessionária em Rondônia, Adriana Lima, para buscar o serviço. “Tive sintomas similares ao da gripe e, seguindo o protocolo da empresa, fiz a consulta com o médico através da telemedicina. Fui surpreendida pela qualidade e rapidez no atendimento. Especialmente, pois não precisei me expor indo até o hospital. Felizmente, meu teste deu negativo”, declarou. Pesquisa da Capterra, plataforma de busca e comparação de softwares, ouviu 1.004 pessoas em todo o país e 55% já utilizaram os serviços de consulta médica a distância.