A vida e atos de Marechal Rondon contada através de selos dos Correios

peixe-post-madeirao

A vida e atos de Marechal Rondon contada através de selos dos Correios

peixe-post-madeirao
rondon

A vida e as ações do herói nacional cujo nome batizou o Estado de Rondônia é tema do livro “Rondon, o marechal da paz – A vida de um herói nacional contada por meio da Filatelia”, de Maurício Melo Meneses. A obra foi lançada no Rio de Janeiro no dia 29 de junho e terá lançamento em Porto Velho no dia 9 deste mês. Com 128 páginas, leitura agradável e instigante, a obra, lançada pela Editora Mackenzie, é ricamente ilustrada por selos que retratam aspectos da vida do Marechal Rondon, dos períodos nos quais realizou seu grande trabalho que entrou para a história do Brasil. 

Que Rondônia herdou o nome do ilustre Marechal Cândido Mariano da Silva Rondon, é algo público e notório. Mas nem tudo em torno da vida do militar pacifista e pioneiro é conhecido pela maioria das pessoas, mesmo as que nasceram e vivem na terra onde o céu é mais azul. Reconhecido em 2015, pela Lei 13.141, o nome de Rondon, que foi inserido no Livro dos Heróis e Heroínas da Pátria, já foi indicado por ninguém mais do que o físico Albert Einstein ao Prêmio Nobel da Paz. Com depoimentos de várias personalidades, o livro faz uma costura histórica em torno de Rondon através dos selos dos Correios já publicados em homenagem ao vulto histórico.

O General de Divisão Floriano Peixoto Vieira Neto, presidente da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos; General de Brigada Paulo A. B. Valença, chefe do Estado Maior do Comando Militar do Sudeste, de 2017 a 2019; Ives Gandra da Silva Martins, professor emérito da Universidade Presbiteriana Mackenzie; Nelson Câmara, presidente da Academia Mackenzista de Letras; e o jornalista e o cineasta Cacá de Souza, são personalidades cujos depoimentos sobre Rondon se encontram no livro de Maurício Meneses.

Roosevelt

Na contracapa do livro, há frases relevantes de personalidades brasileiras e estrangeiras, a começar por Theodore Roosevelt, ex-presidente norte-americano e integrante da Expedição Roosevelt-Rondon: “Rondon, como homem, tem todas as virtudes de um sacerdote, é um puritano de uma perfeição inimaginável na época moderna. E como profissional é tamanho cientista, tão grande é o seu conjunto de conhecimentos, que se poderia considerar um sábio”.

Outro admirador famoso do marechal foi o antropólogo Darcy Ribeiro, que ao ser questionado por representantes da Índia, em uma conferência internacional, se Rondon tinha sido discípulo de Gandhi, disse que “esta pergunta vale por um julgamento de atitude que alcança o pensamento pacifista brasileiro formulado por Rondon: morrer se preciso for, matar nunca”.

Ou, ainda, Carlos Drummond de Andrade, poeta brasileiro, que em trecho extraído do poema Pranto geral dos índios lembrou Rondon: “Eras um dos nossos voltando à origem e trazias na mão o fio que fala e o foste estendendo até o maior segredo da mata… Oh, Rondon, trazias contigo o sentimento da terra…”.

O livro de Maurício Meneses reflete cada uma dessas e muitas outras visões que se pode ter de Rondon, um herói sui generis, que, para não matar, nem deixar que se matasse um só homem, preferiu encarar 100 vezes a morte. “Apresentamos aos leitores uma biografia única do Marechal Rondon, que não pretende ser exaustiva nem extremamente detalhada, mas almeja ser marcante em cada uma de suas páginas”.

“O grande pensamento da juventude de Rondon foi levado a cabo”, segue o autor, pois o futuro Marechal mato-grossense não apenas ligou entre si os longínquos rincões de Mato Grosso como também conectou as regiões Centro-Oeste e Norte do país ao Rio de Janeiro, então capital da República, solucionando os antigos e preocupantes problemas de comunicação e segurança daquelas partes da nação.

Lançamento do livro “Rondon, o marechal da paz – A vida de um herói nacional contada por meio da Filatelia”, de Maurício Melo Meneses

Onde: Espaço Sicoob Credisul – 2º piso do Porto Velho Shopping

Quando: 9 de julho, às 15h30