“A Rondônia Rural Show fortalece a consciência ambiental”, diz Daniel Pereira

peixe-post-madeirao

“A Rondônia Rural Show fortalece a consciência ambiental”, diz Daniel Pereira

peixe-post-madeirao
feira agro

“Não há como prever o futuro da Rondônia Rural Show. Mas é certo que ainda temos que melhorar a estrutura”, avaliou o governador Daniel Pereira sobre a maior feira de agronegócios da região, que acontece anualmente no município de Ji-Paraná. Ele considera que este lugar, onde a mais inovadora tecnologia é apresentada ao setor produtivo, é propício para fortalecer o compromisso com o respeito ambiental, que faz bem à vida e aos empreendimentos.
Daniel Pereira sabe que os países consumidores são exigentes em relação ao que compram. “Portanto, não respeitar o ambiente é causar mal à vida e os negócios. Temos, portanto, que estar atentos ao mundo, porque não produzimos somente para nós, e sim para o planeta”, advertiu.
Além de já estar incluída ente as 10 maiores feiras do ramo no Brasil, em apenas seis anos, outros eventos do gênero estão surgindo no Estados. O Portal do Negócio, em Vilhena, que vai para a 3ª edição, e a Porto Agro, em Porto Velho, são exemplos apontados pelo governador exemplos da força da Rondônia Rural Show.
Ao analisar a grandeza da Rondônia Rural Show, o governador cita as origens do evento para detalhar que tudo começou com um espaço para fortalecer a agricultura familiar. “Hoje, a feira é um ambiente de todos os segmentos. Além do agronegócio, também faz bem ao comércio e a indústria”, explica.

Idealizador

O idealizador da feira não é esquecido: o ex-governador Confúcio Moura. “Ele, provavelmente, não imaginou tanto sucesso, mas, certamente, pensou em realizar uma obra importante para a agricultura familiar.
Se não vislumbra como será a Rondônia Rural Show o futuro, Daniel Pereira tem certeza de que o estado será mais organizado a partir de iniciativas do governo. “Estamos desenvolvimento meios para formar 2.200 técnicos em cooperativismo e pretendemos fazer intercâmbio deles com quatro grandes cooperativas do país”, revela.
O conhecimento adquirido potencializará as riquezas, na avaliação do governador, como ocorre em estados que contribuíram para habitar o estado, como Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Minas Gerais E Espírito Santo. “Nestas regiões, a capacidade de organização é muito grande”, admite.

A qualificação inclui uma geração de indígenas para. “Eles vão decidirem o que é melhor para as comunidade eles. Estão sendo preparados tecnicamente para serem médicos, veterinários, engenheiros civis, engenheiros ambientais e atuar com seus povos”, afirmou.