Browse By

Segurança Pública: Secretários pedem urgência para unificar ações

A criação do Sistema Único de Segurança Pública (Susp) foi um dos temas defendidos pelo Conesp – conselho Nacional de Secretários Estaduais de Segurança pública – em reunião realizada em Brasília nesta quinta-feira (15), durante audiência como secretário Carlos Alberto de Santos Cruz, da Senasp (Secretaria Nacional de Segurança), subordinada ao Ministério Extraordinário da Segurança.

Além do Susp, outra sugestão apresentada foi a elevação do percentual do orçamento do governo federal destinado a segurança, dos atuais de 2%, para o mínimo de 10%. O fortalecimento da vigilância da fronteiras, por exemplo, de acordo com os titulares das pastas de segurança no estados, poderia ser otimizado com maior investimento nessas regiões.

A Amazônia Legal, formada por nove estados do norte, defende que a única forma de enfrentar o crime organizado nos grandes centros é melhorar a eficácia na vigilância das fronteiras da região amazônica. “A droga comercializada no país passa pela fronteiras da Amazônia e vêm de países como Venezuela, Peru e Bolívia. Somente em Rondônia são mais de 1.400 quilômetros de fronteiras precisando de ações efetivas de toda ordem”, disse o secretário.

Criminalidade

O enfrentamento ao narcotráfico e ao contrabando de armas na região, como solução dos altos índices de criminalidade nos grandes centros, vem sendo apontado reiteradas vezes pelo secretário.

“Rio de Janeiro, Minas e São Paulo não produzem drogas nem armas. As drogas, as armas e o contrabando de toda ordem, passam pela fronteira de nossa região”, disse o secretário. “É aqui nas fronteiras da Amazônia a causa-raiz dos problemas de criminalidade do país”, acrescentou.

Além da aprovação do Susp, os secretários querem a manutenção do Conesp (Comitê Nacional de Segurança) como órgão colegiado integrante do Ministério da Segurança; querem também a aprovação do projeto do Sistema Único de Segurança com as emendas que deverão ser encaminhadas para integração entre os órgãos de segurança. Durante a reunião, em Brasília, foi proposta também a necessidade de definição do papel dos municípios nas atividades de prevenção na área de segurança pública em colaboração aos órgãos estaduais.