Browse By

Porto Velho: Parceria vai combater maus tratos a animais e prevenir doenças

A primeira-dama do Município de Porto Velho, Ieda Chaves, em conjunto com a Subsecretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema) lançaram programa para fomento à proteção animal no Município de Porto Velho.
O objetivo inicial, segundo Ieda Chaves, é que mil animais, entre cães e gatos, que estão em abrigos, e também nas ruas, sejam monitorados e castrados pelo programa de proteção, que será desenvolvido em parceria com Organizações Não Governamentais (ONG’s), Polícia Civil (por meio do 197), Polícia Militar Ambiental, Faculdade Fimca e demais secretarias do Município.
O titular da Secretaria de Meio Ambiente, Robson Damasceno, afirmou que o trabalho de captura dos animais para cuidados veterinários, alimentação e possível castração já começou por meio dos parceiros. Ele esclareceu que, inicialmente, as castrações contemplam apenas os animais que estão nos abrigos voluntários. “Essas organizações fazem a captura dos animais, cuidam deles, os levam para castração e, em muitos casos, disponibilizam o animal para adoção”, completou o secretário.

Amigos de Patas

Uma das principais parceiras da Sema no resgate e cuidado dos animais é a ONG ‘Amigos de Patas’.Esta entidade, de acordo com a coordenadora provisória de proteção animal da Sema, Cristiane Patrícia Hurtado, foi considerada, em 2014, de utilidade pública devido ao resgate de animais que essa entidade fez durante a enchente histórica do Madeira. “Só essa ONG tem cerca de 300 animais sob seus cuidados, com uma unidade no centro e outra no bairro Planalto”, declarou Damasceno.

Colaboradores

De acordo com Robson Damasceno, o Município publicou portaria atribuindo a algumas secretarias o papel de colaborador no cuidado e proteção dos animais e controle de zoonoses. “A Semasf, por exemplo, através do cadastro do Bolsa Família, tem a função de aferir a média dos cães e gatos que vivem com as famílias de baixa renda. A Semtran comunica casos de atropelamento e de maus tratos nas ruas. A Semusa cadastra o número de animais nas residências visitada pelos técnicos, e ainda controla o Centro de Zoonoses. Já a Semusb retira os cães e gatos mortos nas ruas, levando-os para o incinerador”, explicou Robson, frisando que em caso de animais mortos no período de 24 horas, a Semusa também ajudará verificando qual a causa do óbito.

Castrações

“Estamos também finalizando um convênio com o hospital veterinário da Fimca, que além da compensação referente a mil castrações de cães e gatos, fará atendimentos emergenciais a animais acidentados. São cerca de 9 castrações por semana”, acrescentou o secretário.
Ainda neste ano a Sema deve ser contemplada com recursos para a construção de um abrigo para animais, com capacidade para 600 cães e gatos. “Já temos o terreno para a construção do prédio. O local fica localizado na Avenida Guaporé, nas imediações do Cemetron, na área Norte da capital, onde também deve ser construído um hospital municipal veterinário”, salientou Cristiane Patrícia.
No próximo dia 8, a secretaria realizará palestra na Fimca para as pessoas que atuam nos grupos de cuidadores de animais e estudantes de veterinária. “A palestra é para orientar sobre os cuidados e combate aos maus tratos de animais”, explicou Cristiane Patrícia, acrescentando que esse trabalho de educação também é feito nas escolas públicas.