Preso em RO, traficante Nem é julgado por videoconferência

O julgamento de Antônio Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, e de outros três acusados de participar da morte da modelo Luana Rodrigues de Sousa, de 20 anos, e de sua amiga Andressa de Oliveira, de 25, em maio de 2011, na Favela da Rocinha, em São Conrado, foi reiniciado por volta das 9h desta quarta-feira, no 3º Tribunal do Júri do Rio de Janeiro. Segundo o Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro, a sessão teve início nesta terça-feira, mas foi suspensa durante a noite.

Além de Nem, também estão sendo julgados pelo crime Thiago de Souza Cheru, Anderson Rosa Mendonça e Rodrigo Belo Ferreira. Todos os réus participam do júri pelo sistema de videoconferência, com exceção de Anderson, que solicitou, através do seu advogado, para não assistir ao julgamento. Nem está cumprindo pena no presídio federal de Porto Velho, em Rondônia, no Norte do país, enquanto que os demais, no Complexo de Gericinó, em Bangu, na Zona Oeste do Rio.

De acordo com denúncia do Ministério Público, o motivo do crime foi o fato das jovens terem desaparecido com uma carga de haxixe dos traficantes locais.

Após os depoimentos das testemunhas, o júri foi interrompido por volta das 20 horas. Ainda nesta noite terão início os interrogatórios dos réus e, depois, começam os debates orais entre a acusação e a defesa. Ao final dessa etapa, o Conselho de Sentença, formado por sete jurados, irá julgar os quesitos formulados pela juíza, que irá proferir a sentença. Fonte: SGC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *