Browse By

Operação combate crimes na região de fronteira em Rondônia

A faixa de fronteira brasileira corresponde a 16.886 quilômetros, engloba 588 municípios de 11 estados da federação e faz divisa com dez países. A união dessas federações desencadeou em uma das maiores operações repressivas contra crimes de fronteira no Brasil, a Operação Esforço Integrado que em Rondônia está sendo coordenada pelo Gabinete de Gestão Integrada de Fronteira (GGIF) da Secretaria de Estado, Defesa e Cidadania (Sesdec).
Conforme o gerente de Integração de Segurança e Fronteira da Sesdec, coronel PM Davi Moroni de Souza, a operação foi desencadeada entre os dias 26 e 29 de junho e foram envolvidos nesse trabalho representantes da Agência Brasileira de Inteligência, Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia, Exército Brasileiro, Marinha, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis, Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Técnico Científico, entre outros. “Esse trabalho que reúne inteligência, estratégia e planejamento só é possível com o apoio de todos esses órgãos”, esclareceu o coordenador de Gestão Integrada de Fronteira.

Narcotráfico

Nessas operações são enfrentados crimes de contrabando de armas, tráfico de pessoas, narcotráfico, desmatamento, garimpo ilegal e diversos outros problemas relativos à falta de segurança na fronteira que atingem os moradores que vivem próximo da linha divisória entre os países fronteiriços.

Apreensões

Houve diminuição dos índices de criminalidade nas fronteiras em relação ao tráfico de entorpecentes e veículos contrabandeados. Segundo informou o tenente-coronel PM Braga, comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar em Guajará-Mirim na fronteira com a Bolívia. Os dados mostram que em 2017 foram 12 apreensões de entorpecentes nas fronteiras. Em 2018 esse número caiu para 4. Ano passado foram recuperados 64 veículos roubados e em 2018 esse número caiu para 47.

Farejadores

Ainda conforme o comandante Braga, a atuação dos cães farejadores no combate às drogas é fundamental para a queda da criminalidade nas fronteiras. “Nós temos bravos guerreiros que combatem com honra e disciplina a tentativa dos criminosos em burlar as leis, mas a presença dos cães facilita o trabalho de todos nós nestas operações de fronteira”, pontuou o comandante.
As forças de segurança e defesa envolvidas na operação somaram aproximadamente mil profissionais, com demonstração de grande mobilidade e capacidade de atuação integrada, conforme destaca o Secretário da Sesdec, Coronel PM Ronimar Vargas Jobim, que visitou a operação.