Browse By

Porto Velho ganha um cartão postal o novo Espaço Alternativo

No ultimo dia 4, a Capital ganhou uma moderna escultura urbana, uma passarela metálica, com 180 metros de extensão, localizada no novo Espaço Alternativo, a entrada da cidade para quem chega pelo aeroporto Governador Jorge Teixeira.
O arquiteto responsável pelo projeto, Lorenzo Villar, nascido em Guajará-Mirim, explica que a passarela vai além da questão da mobilidade, desempenhando também a função do belo. “Porto Velho recebia muitas críticas por falta de urbanidade. O projeto foi desenvolvido com intuito de criar um sentimento favorável à população, aproximando as pessoas a um estado de contemplação, mesmo em um centro urbano”.
Lorenzo comenta ainda que o conceito do projeto busca moldar um elemento rígido como o metal em um elemento orgânico, refletindo a percepção do local onde está a cidade de Porto Velho, no limiar entre a floresta e a civilização. “Toda percepção foi moldada pela paisagem amazônica, como as curvas dos rios e o banzeiro das águas. Como arquiteto, senti o dever de fortalecer esse laço e a referência de vida na floresta”, frisa.
Glécia Anselmo nasceu no município de Ji-Paraná e mora há dez anos em Porto Velho, ao passar pela passarela, admirou e elogiou o projeto. “Essa passarela está maravilhosa, Porto Velho precisava de um ponto turístico moderno, um novo cartão postal, um local que dá orgulho apresentar a quem está visitando a cidade”, destaca.
Ainda no Espaço Alternativo, o Governo de Rondônia criou o Memorial Rondônia, com uma réplica em tamanho reduzido de parte da muralha do Real Forte Príncipe da Beira, monumento histórico localizado no município de Costa Marques, fronteira com a Bolívia; totens com imagens referenciam ás personalidades importante da história, como o Marechal Rondon, os povos tradicionais indígenas e os extrativistas e uma locomotiva, peça histórica da antiga Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, que foi revitalizada pelo Departamento de Estrada de Rodagens, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER).

O diretor do DER, Luiz Carlos Catatau, lembra que antes do Governo assumir a missão de revitalizar, o Espaço Alternativo era um local destinado apenas às práticas esportivas. “Hoje é uma área que integra atividades de lazer, espaços de convivência e contemplação, como a moderna passarela e um passeio pela história do estado de Rondônia”, observou.